Mi bebé y yo

Aborto espontâneo: o que é, quais são os seus sintomas e como recuperar

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

O aborto espontâneo é a perda da gravidez antes das 20 semanas. Costuma acontecer porque a gravidez não está a evoluir normalmente devido, sobretudo, a anomalias genéticas. Quais são os seus sintomas e como se pode recuperar?

O aborto espontâneo é a perda da gravidez antes das 20 semanas. Antes da futura mamã saber que está grávida estima-se que até cerca de 40 – 50% dos óvulos fecundados morrem e são abortados espontaneamente.

Perante a ameaça de um aborto espontâneo, na maioria dos casos, a única coisa que se pode fazer é descansar uma vez que, normalmente, não existem medicamentos capazes de combater uma ameaça de aborto.

Apesar da perda de uma gravidez ser um fenómeno relativamente frequente, trata-se de uma experiência dolorosa e angustiante para a família. Em muitos casos, a prevenção, o controlo médico e a eliminação dos fatores de risco podem ser uma grande ajuda nas futuras gravidezes.

(Também lhe interessa: Repouso relativo e absoluto na gravidez)

Causas do aborto espontâneo

Entre as gravidezes conhecidas (a mulher sabe que está grávida), a taxa de aborto espontâneo encontra-se entre os 10 e os 15 % e, geralmente, entre as 7 e as 12 semanas de gravidez.

  • A causa mais frequente do aborto espontâneo é a morte fetal por anomalias congénitas do feto, frequentemente genéticas. Noutros casos, deve-se a anomalias físicas na mãe (endometriose), doenças sistémicas da grávida (diabetes, infeções, fatores hormonais ou respostas imunitárias.

(Também lhe interessa: Diabetes gestacional: sintomas, dieta e tratamentos)

  • Além disso, o risco de aborto espontâneo é maior em mulheres com mais de 35 anos, com certas doenças (como a diabetes ou problemas de tiroide) ou com antecedentes de três ou mais abortos espontâneos anteriores.

(Também lhe interessa: Hipertiroidismo e hipotiroidismo na gravidez: guia prático)

Sintomas do aborto espontâneo

Os sintomas mais comuns de um aborto espontâneo são o sangramento vaginal e as dores abdominais. Estes sintomas aparecem tanto quando há uma ameaça de aborto, como quando o bebé já se perdeu e a gravidez foi interrompida. Os sintomas são os seguintes:

  • Dor abdominal de tipo cólica ou na região lombar.
  • Hemorragia vaginal.
  • Expulsão de coágulos ou tecidos que saiem pela vagina.

Não obstante, alguns destes sinais são frequentes durante os primeiros meses de gravidez sem que sejam sintomas de um aborto espontâneo.

O que fazer perante estes sintomas

  • É muito importante consultar o ginecologista imediatamente, pois é ele quem poderá verificar se a gravidez evolui bem, se se trata de uma ameaça de aborto ou se já aconteceu a perda do embrião.
  • O ginecologista poderá ver se o colo do útero está dilatado, pode fazer uma análise de sangue ou, através de uma ecografia obstétrica (introduzindo a sonda na vagina), verificar se o feto ainda está implantado no útero e se o seu coração bate normalmente.

Um aborto espontâneo pode repetir-se?

Um aborto espontâneo não influencia negativamente o andamento de uma gravidez posterior. 15 a 18 % das gravidezes interrompem-se nos primeiros 120 dias. Assim, a perda de uma gravidez é um acontecimento frequente mas não está relacionado com patologias necessariamente destinadas a repetir-se.

Na maioria dos casos, o aborto acontece porque o feto não é saudável e este motivo impede que a gestação chegue ao seu termo. Inclusivamente depois do segundo episódio, a probabilidade de que o aborto se repita é de 20 %, aproximadamente.

Apenas depois de um terceiro episódio se pode falar de abortos recorrentes, e a possibilidade de enfrentar outro fracasso sobe aos 30%. Nestes casos, pode pensar em consultar um centro especializado para investigar as causas. Algumas tratam-se com fármacos (por exemplo, os desequilíbrios hormonais ou os problemas de coagulação do sangue que impedem uma correta irrigação da placenta). Noutros casos pode fazer-se uma intervenção cirúrgica (quando o útero apresenta malformações). É indispensável efetuar também um mapa cromossómico que serve para averiguar se os pais têm anomalias que causam o aborto devido ao facto da conjugação que se dá na conceção ter uma bagagem genética imperfeita. Em muitos casos, é aconselhável voltar a tentar, dado que não é certo que a combinação desfavorável se repita.

Como recuperar de um aborto espontâneo

Na maioria dos casos, quando acontece um aborto espontâneo a mulher não necessita de nenhum tratamento. O útero esvazia de um modo natural, como se se tratasse de uma menstruação intensa. Por isso, muito frequentemente, se a mulher não sabia do seu estado, é muito provável que o aborto passe quase despercebido. A mulher pode vê-lo como um atraso menstrual.

Se, por outro lado, a mulher é consciente do seu estado, é muito aconselhável que, depois de sofrer uma perda destas, vá ao ginecologista para que este faça uma exploração clínica. Se esta mostrar que ficou tecido no útero ou a mulher tiver hemorragias intensas, será necessário um tratamento para esvaziar o útero. Existem dois tipos de tratamento:

  • O cirúrgico, que consiste numa intervenção na qual o colo do útero se dilata e se retira o tecido sobrante, e o farmacológico, um tratamento à base de misoprostol.
  • Se a mulher sabia do seu estado, é possível que necessite de ajuda para se recuperar emocionalmente.
  • Se os abortos espontâneos se repetirem, é aconselhável que os pais sejam examinados exaustivamente por especialistas para detetar as possíveis causas. É possível que os pais tenham algum problema de saúde subjacente que provoque repetidamente a perda da gravidez. São muitas as causas que podem desembocar num aborto espontâneo. Entre elas, uma irregularidade hormonal da mulher ou uma deficiente implantação do embrião.

(Também lhe interessa: Engravidar depois de um aborto: como recuperar a confiança)

Também lhe interessa

Aborto espontâneo: sintomas e recuperação ! |O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)