Mi bebé y yo

Acupuntura na gravidez: adeus ao desconforto!

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

A acupuntura na gravidez é muito benéfica pois ajuda aliviar grande parte do mal-estar típico deste período, desde a dor de cabeça e de costas até aos problemas circulatórios. É fundamental consultar especialistas que sejam competentes.

A acupuntura é uma técnica da medicina tradicional chinesa que, hoje em dia, é muito difundida também no Ocidente. É um tratamento muito antigo que tem por finalidade reequilibrar o estado de saúde e bem-estar de um organismo alterado por qualquer motivo, seja este interior ou exterior. A acupuntura não tem contra indicações nem efeitos secundários e pode ser um tratamento ideal durante a gravidez quando, frequentemente, aparecem desconfortos que alteram as funções fisiológicas do organismo. Este tratamento permite reequilibrar estas funções sem necessidade de recorrer a medicamentos.

Embora a acupuntura se baseie no uso de agulhas, não é um tratamento doloroso. As agulhas são compridas e finas, e as sensações podem variar muito (sensação de cãibras, de calor, de peso na zona tratada, etc.), mas nunca se chega a ter uma verdadeira dor. No entanto, é muito importante consultar apenas especialistas.

Quais os incómodos que a acupuntura pode tratar na gravidez

Os incómodos típicos da gravidez que se podem curar com a acupuntura são os seguintes:

Enjoos e vómitos

O uso da acupuntura na gravidez para combater este mal-estar tem uma eficácia significativa. A zona principal que se tem de estimular encontra-se na parte interior e central do braço, mais precisamente três dedos acima da dobra do pulso (ponto 6 de pericárdio). Estimulando outras 2 ou 3 zonas, localizadas no tronco e nas pernas, cria-se um “esquema” muito simples que permite ter estes sintomas controlados, quer se trate de simples enjoos matinais, quer se trate de uma forma mais forte de vómitos frequentes.

(Também lhe interessa: Enjoos durante a gravidez: causas e tratamentos eficazes)

Cefaleia

Normalmente, a dor de cabeça melhora de uma forma espontânea durante a gravidez. No entanto, em cerca de 30% dos casos, tal não acontece. A acupuntura pode ser a solução ideal porque permite atenuar este mal-estar sem necessidade de tomar medicamentos. Pouco a pouco, vai havendo uma diminuição tanto da frequência dos ataques como da intensidade da dor dos restantes sintomas associados, como a sensibilidade à luz, enjoos e vómitos. A escolha das zonas que se deverão estimular depende do tipo de cefaleia e da área mais afetada (parte anterior ou posterior da cabeça), além dos restantes sintomas presentes.

(Também lhe interessa: Dor de cabeça na gravidez: o computador pode piorar a situação)

Ciática lombar

É um problema típico da gravidez, especialmente nos últimos meses. Também neste caso com a acupuntura consegue-se uma diminuição progressiva da dor sem recorrer a medicamentos anti-inflamatórios. As zonas estimuladas encontram-se na zona dorsal e nas pernas. De modo a permitir a aplicação das agulhas, devido ao estado avançado da gravidez e ao volume da barriga, a mulher terá de se deitar de um dos lados.

(Também lhe interessa: Dor ciática na gravidez: a que se deve e como aliviar a dor)

Pernas inchadas

À medida que a gravidez avança, o útero aumenta de volume e comprime os vasos sanguíneos da parte inferior do corpo, gerando uma acumulação de sangue e de linfa, o que traz consequências como pernas inchadas e hemorroidas. A acupuntura reequilibra as funções do sistema circulatório e revela-se eficaz também neste caso. A estimulação dos pontos, localizados sobretudo na orelha, varia consoante a intensidade do desconforto.

(Também lhe interessa: Pernas e pés inchados: causas e soluções)

Posição fetal podal

Não se trata de um desconforto mas sim de uma possível complicação durante a gravidez. Ajudar o bebé a dar a volta quando se encontra em posição podal é uma das aplicações mais conhecidas da acupuntura. Estimula-se um ponto muito preciso, na esquina exterior da unha do mindinho dos pés, com uma agulha que, neste caso, tem de ser aquecida. O bebé dá logo a volta, pondo-se na posição correta. Por vezes são necessárias até quatro sessões mas, muitas vezes, basta apenas uma. O tratamento realiza-se entre a 32ª e a 35ª semana de gravidez. Seria inútil fazê-lo antes pois o bebé ainda teria muito espaço no interior do útero e poderia voltar a pôr-se em posição podal antes do parto. Antes da sessão é importante fazer uma ecografia para verificar a posição do feto.

Benefícios da acupuntura para a amamentação

A acupuntura também pode ser uma solução para os problemas associados à produção de leite. Em especial, funciona muito bem quando a amamentação começa bem e, de repente, parece ficar bloqueada. O ponto de estimulação encontra-se na esquina exterior dos mindinhos das mãos. O ideal é fazer sessões regulares durante um período que pode chegar até às 8 ou 10 semanas.

E para o parto?

Depois de acompanhar a futura mamã durante toda a gravidez, a acupuntura também pode servir para induzir o trabalho de parto quando este passa do tempo esperado, além de potenciar as contrações do útero encurtando os tempos e, até, controlando a dor. No entanto, estas aplicações são difíceis de efetuar nos hospitais, onde não há suficientes acupuntores que possam garantir a assistência a todas as mamãs no momento adequado.

Também lhe interessa

Acupuntura na gravidez: adeus desconforto | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)