scorecardresearch
Siga-nos
Mi bebé y yo
Doenças
Doenças

Esquisar doenças por inicial

a b c d e f g h i l m n o p q r s t u v

Pré-eclâmpsia: uma doença da gravidez

facebook twitter whatsapp

A pré-eclâmpsia é um transtono que se pode apresentar durante a gravidez e que deve estar sob controlo, porque pode evoluir e ter consequencias para a mamã e para o bebé.

É uma patologia tão antiga como a humanidade, mas a ciência ainda não conseguiu descobrir as suas causas e mecanismos desencadeantes. Uma coisa é certa: a pré-eclâmpsia é uma condição séria, que se deve ter sob controlo estrito, porque pode degenerar rapidamente e ter consequências graves para o mamã e para o bebé. 

Investigações mais recentes, no entanto, demonstram que um tratamento à base de heparina e aspirina em doses reduzidas pode diminuir o risco de se sofrer de pré-eclâmpsua na categoria de mamãs de risco. Para as demais, é fundamental realizar controles frequentes de tensão e análises de urina, seguindo as indicações do ginecologista, que se baseiam também no historial clínico da futura mamã e na possível presença de fatores de risco. Nos dias de hoje, ainda é necessário alertar para o diagnóstico precoce como forma de reduzir os efeitos nocivos. 

Em que consiste a pré-eclâmpsia

A pré-eclâmpsia pode apresentar-se depois das 20 semanas de gravidez manifesta-se com um aumento repentino da tensão arterial associada à proteinúria, ou seja, a uma concentração anómala de proteínas na urina. No passado, entre os sintomas típicos desta doença, incluia-se também o inchaço das extremidades inferiores, mas isto já não é tido em conta, porque a menudo também se apresenta nas gravidezes fisiológicas. Por vezes, a pré-eclâmpsia manifesta-se de forma grave, outra vezes, apresenta-se mais leve, mas a sua evolução é imprevisível. Se não está controlada, pode ter consequências muito graces: deprendimento da placenta, insuficiência renal aguda, edema pulmunar, hemorragia cerebral e convulsões. 

Em Portugal, a incidência da pré-eclâmpsia é de apenas 2% das gravidezes. Nos Estados Unidos, no entanto, alcança dos 5%: com frequência deve-se à obesidade da futura mamã e à resistência à insulina e apresenta-se, sobretudo, nas últimas semanas da gravidez. Neste caso, a obesidade não está tão difundida e a pré-eclâmpsia associa-se. algumas vezes, a uma trombofilia da mãe, uma patología congénita dos mecanismos de coagulação do sangue. 

Outros fatores de risco são a hipertensão materna anterior à gravidez, doenças cardiovasculares e, às vezes, precedentes familiares. A pré-eclàmpsia é mais frequente nas gravidezes gemelares e nas primeiras gravidezes. 

(Interessa-lhe: Tensão alta na gravidez)

Tratamento da pré-eclâmpsia

O único sistema realmente eficaz para tratar a pré-eclâmpsia é dar à luz. Normalmente, depois do parto, a doença diminui de forma progressiva e espontânea. Quando se manifestamente de forma precoce, antecipar o parto comporta alguns riscos para a saúde do bebé, que ainda não completou o seu crescimento. Nestes casos, o objetivo dos tratamentos é bloquear a progressão da patologia e ter sob control as condições da mãe, para permitir que o feto alcance um nível de desenvolvimento compatível com o nascimento e sua sobrevivência. 

As prescrições para a futura mamã que tem pré-eclâmpsia são: repouso absoluto, controles frequentes e medicamentos anti-hipertensivos que não comportem riscos para o bebé. Se a situação piora, a paciente deve ser hospitalizada para ter sob controlo as suas condições e, em caso de necessidade, que seja induzido o parto. Se o seu estado de saúde não melhora após o nascimento do bebé, é possível que seja tratada com medicação mais forte.

Em caso de hospitalização, é muito importante que a futura mamã esteja numa estrutura especializada, com as ferramentas necessárias para realizar uma cesariana de urgência, assistência ao recém-nascido prematuro e uma eventual reanimação da mãe. 

Para além de aumentar o risco de parto premuto, a doença altera o funcionamento da placenta e dificulta a passagem de oxigénio e substâncias nutritivas para a mamã e bebé. Esta condição pode comportar uma desaceleração do crescimento da criança, que pode estar com peso a menos no momento do nascimento. Esta possibilidade aumenta se a doença surge precocemente. 

Diagnóstico daa pré-eclâmpsia

Diagnostica-se uma situação de pré-eclâmpsia quando uma mulher grávida apresenta um nivel de pressão arterial igual ou superior a 140/90 mm Hg, ou uma subida repentina de pelo menos 30 mm Hg da pressão mínima (diastólica) e de 15 mm Hd da máxima (sistólica), acompanhada de proteinúria (concentração de proteína na urina superior à media). Esta alteração indica uma falha no funcionamento dos capilares dos rins, que não conseguem reter as proteínas no sangue e as expulsam na urina. Os ginecologistas aconselham que cada futura mamã deveria controlar a sua tensão e fazer análises de urina de forma regular, inclusivamente na ausência de mau-estar ou transtornos. Estes exames devem efetuar-se ainda mais frequentemente se se detetam alguns dos sintomas de pré-eclâmpsia: dor de estômago, dor de cabeça forte e continuada e transtornos da visão. 

(Interessa-lhe: Pernas e pés inchados na gravidez)

Eclâmpsia, trombofilía e gestose: o que são

- Eclâmpsia: grave complicação na gravidez que se manifesta com convulsões e possíveis danos cerebrais. A pré-eclâmpsia tem este nome porque é uma condição que precede a eclâmpsia. 

- Trombofilía: tendância a uma excesiva coagulação do sangue e formação de trombos. A trombofilía congénita é um fator de risco para a pré-eclâmpsia. 

- Gestose: é a antiga designação de pré-eclâmpsia. Há alguns anos que este termo já não se usa nas publicações científicas, ainda que alguns sigam utilizando este termo inapropriadamente. 

 

(Interessa-lhe: Doenças na gravidez)




Também lhe interessa

Pré-eclâmpsia: uma doença da gravidez | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)

Registro