scorecardresearch
Siga-nos
Mi bebé y yo
Doenças
Doenças

Esquisar doenças por inicial

a b c d e f g h i l m n o p q r s t u v

Ovários poliquísticos: causas, sintomas e tratamentos

facebook twitter whatsapp

Conhece a síndrome do ovário poliqístico? Ter ovários poliquísticos dificulta a gravidez? Causas, sintomas, diagnóstico e tratamento. Damos-lhe toda a informação sobre ovários policísticos, saúde e gravidez.

A síndrome do ovário poliquístico é uma doença em que se sofre de um desequilíbrio das hormonas sexuais femininas, o que pode provocar alterações no ciclo menstrual, quistos nos ovários e dificuldade em engravidar, entre outros problemas.

Quais são as causas dos ovários poliquísticos

A síndrome do ovário policístico, que costuma ser diagnosticada em mulheres entre os 20 e os 30 anos de idade, está relacionada com alterações hormonais que dificultam a libertação de óvulos amadurecidos por parte dos ovários. As hormonas afetadas são os estrogénios e a progesterona, que são as hormonas femininas que ajudam a libertar os óvulos, e os androgénios, uma hormona masculina que as mulheres têm em pequenas quantidades.

Durante o ciclo menstrual, normalmente libertam-se um ou mais óvulos, a chamada ovulação. A libertação destes óvulos ocorre aproximadamente duas semanas após o início do ciclo menstrual. Nas mulheres que sofrem da síndrome do ovário policístico, estes óvulos amadurecidos não se libertam. Ao invés, permanecem nos ovários, cercados por uma pequena quantidade de líquido. Este problema com a libertação dos óvulos pode contribuir para a infertilidade.

Sintomas da síndrome do ovário poliquístico

Os sintomas da síndrome do ovário poliquístico implicam alterações no ciclo menstrual: ausência da menstruação depois de ter tido um ou mais períodos normais durante a puberdade e ciclos menstruais irregulares, que podem ir de muito ligeiros até hemorragias abundantes. Outros sintomas que podem indicar que se sofre de síndrome do ovário policístico são: aumento dos pelos nas zonas do peito, abdómen e cara, aparecimento de acne no rosto, e mudanças na pele, como sinais e rugas fundas e escuras na zona das axilas, das virilhas, no pescoço e nos seios.

Como se diagnostica

A fim de detetar a síndrome do ovário poliquístico, o médico procederá a um exame físico que incluirá um exame pélvico, peso, índice de massa corporal (IMC) e medição do abdómen. Além disso, irá rever o historial médico da mulher para verificar se esta padece de alguma das doenças mais comuns em mulheres com ovários policísticos: diabetes, hipertensão arterial, colesterol alto, aumento de peso e obesidade.

Se o médico achar conveniente, pode pedir uma análise de sangue, para determinar os níveis hormonais e para analisar a intolerância à glicose e a resistência à insulina. Por último, também pode pedir uma ecografia vaginal ou uma laparoscopia pélvica, para examinar mais detalhadamente a zona dos ovários.

Tratamento para os ovários poliquísticos 

Um dos fatores comum às mulheres que padecem de síndrome do ovário poliquístico é o aumento de peso e a obesidade. Por isso, perder peso é o primeiro passo a tomar para tratar esta síndrome, gozar de um melhor estado de saúde e acabar com os problemas relacionados com os ovários policísticos, como a diabetes, a hipertensão ou o colesterol alto.

Outro tratamento que o médico pode receitar é a pílula anticoncecional, com o objetivo de tornar os ciclos menstruais mais regulares. Se o achar conveniente, também pode prescrever medicamentos para a diabetes. No caso das mulheres que querem engravidar, é possível que o médico prescreva análogos da hormona libertadora da hormona luteinizante (HLHL) ou citrato de clomifeno, que ajuda os ovários a crescer e libertar óvulos. No entanto, há que considerar que estes medicamentos funcionam melhor quando o índice de massa corporal (IMC) é baixo.

Seguindo o tratamento indicado pelo médico, as mulheres com síndrome do ovário poliquístico podem engravidar. No entanto, devem recordar que há um risco maior de aborto espontâneo e de sofrer de hipertensão arterial e diabetes gestacional, durante a gravidez. Por outro lado, as mulheres com ovários poliquísticos são mais propensas a desenvolver cancro endometrial, esterilidade e cancro da mama.

 

No vídeo seguinte, Elisa Hernández Rivas, médica de Endocrinologia e Nutrição em Alimmenta.com, explica-lhe no que consiste a síndrome do ovário policístico.

.........

 



Também lhe interessa

Ovários policísticos: causas, sintomas e tratamentos | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)

Registro