Mi bebé y yo

Teste de Stress à Oxitocina

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

O médico disse-lhe que vai ter de fazer um teste de stress à oxitocina durante a gravidez? Está preocupada porque não sabe o que significa ou se tem riscos associados para o bebé? Detalhamos-lhe em que consiste o Teste de Stress à Oxitocina. Tome nota!

O Teste de Stress à Oxitocina consiste na estimulação das contrações uterinas administrando-se oxitoxina mediante uma solução intravenosa. Este exame simula o trabalho de que leva a cabo a futura mamã durante o parto monitorizando-se por meios eletrónicos a frequência cardíaca do bebé. O ginecologista aconselha a que a grávida realize este exame quando considera necessário comprovar o estado do feto no útero para garantir o bem-estar do feto, se existem dúvidas relativas à saúde do bebé no parto.

Como vantagem deste exame, destaca-se o facto de se poder conhecer a capacidade do bebé tolerar as contrações. Como inconveniente, provoca desconforto à futura mamã que se vê restringida nos seus movimentos.

(Também lhe interessa: Contrações de parto: como se reconhecem?)

Quando se utiliza a oxitocina

Ao falar de oxitocina, muitas futuras mamãs ficam preocupadas, já que frequentemente não fica claro o uso que se faz desta substância. A oxitocina sintética utiliza-se para acelerar o parto quando é preciso induzir o parto e também se emprega quando as contrações não alcançam uma dilatação adequado do colo do útero.

A sua administração processa-se através de uma goteira, similar ao soro, de forma controlada e a doses crescentes. A velocidade do gota a gota vai aumentando gradualmente até se conseguirem o número de contrações desejadas. O ginecologista controla as contrações durante todo o tempo, a pressão sanguínea e a frequência cardíaca do feto. A oxitocina utiliza-se para:

  • Comprovar o estado do feto no útero, através do teste se stress à oxitocina.
  • Induzir o parto quando se considera que continuar a gravidez põe em risco o bebé e/ou a mamã 
  • Estimular o parto quando a dinâmica uterina é insuficiente para que o nascimento do bebé se produza de forma segura. 

(Te interesa: Os benefícios do parto a termo)

Interpretação do teste stress de contração

O exame com oxitocina às contrações, analisa a resposta do feto às contrações provocadas artificialmente, mas como se interpretam estes resultados?

  • Teste negativo: significa que não há um desacelerar tardío do feto na presença de contrações uterinas. Neste caso, o teste repete-se ao fim de sete dias.
  • Teste inconclusivo: significa que existem desaceleramentos tardios ocasionais ou qualificados como desaceleramentos variáveis. Neste caso, o exame deverá ser repetido nas 24 horas que procedem ou ser completado com exames à saúde do feto.
  • Teste positivo: significa que existem desaceleramentos tardios em mais de 50% do exame. Neste caso, se o feto já está desenvolvido, deve ser finalizada a gravidez mediante cesariana ou parto normal.

 (Também lhe interessa:Manobra de Hamilton: polémica e riscos)

Riscos do Teste de Stress à Oxitocina

Este exame da gravidez pode provocar certos riscos para o bebé e para a mamã. No caso do feto, a estimulação do útero pode produzir um défice de oxigénio transitório, que costuma ser solucionado facilmente interrompendo-se a administração. Se tal ocorre, não significa que a oxitocina sintética produza este efeito no bebé. Senão que o pequenote não aguenta as contrações uterinas. No caso da mãe, existem um leve efeito anti diurético que provoca retenção da urina. Trata-se de um efeito secundário que não é grave e ocorre de forma excepcional.

(Também lhe interessa: Exames na gravidez: guia completo dos exames na gravidez)

Também lhe interessa

Teste de Stress à Oxitocina | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)