O meu bebé

Macrossomia: quando o bebé nasce demasiado grande

Uma gravidez macrossómica é aquela que faz referência a um bebé que se torna maior do que o habitual no ventre materno (macrossomia). Explicamos-lhe quais são as suas causas e os seus riscos durante o parto e no pós-parto.

A palavra "macrossomia" faz referência a um corpo grande e fala-se de macrossomia neonatal quando o recém-nascido tem um tamanho e peso mais elevados do que o habitual ao nascer. Assim, a macrossomia descreve um feto de grande tamanho, acima do percentil 90. A causa mais comum de macrossomia é a diabetes materna e, obviamente, o facto do bebé ser muito grande pode acarretar complicações ao dar à luz, aumentando as probabilidades do parto ser de cesariana.

(Também lhe interessa: Diabetes gestacional: sintomas, exames, dieta e tratamentos)

Causas da macrossomia

Existem vários fatores que contribuem para que o bebé, enquanto se encontra em gestação no ventre materno, seja maior do que o habitual. As causas mais comuns são:

  • - Diabetes materna. É a causa mais habitual da macrossomia, tanto em mamãs que já padeciam de diabetes antes da gravidez, como naquelas que desenvolveram diabetes gestacional. A metabolização do açúcar no organismo da mulher, ao ter um alto índice de açúcar, faz com que o feto se alimente dele e que tenha tendência a acumular gorduras e, consequentemente, um crescimento excessivo.
  • - Ficar grávida tendo excesso de peso é um risco que pode fazer com que o bebé tenha macrossomia, existindo o mesmo risco quando a mulher ganhou muito peso durante a gravidez.
  • - Genética e grupo étnico. São dois fatores determinantes no que respeita ao tamanho do bebé.  Por um lado, o grupo étnico pode influenciar. Por outro lado, a genética também é um fator determinante, pois os pais que são grandes costumam ter bebés grandes. Do mesmo modo, se já teve um bebé macrossómico, o mais natural é que o mesmo aconteça em gravidezes futuras.

Gravidez macrossómica: mais complicações durante o parto

A macrossomia tem como consequência um aumento do risco de complicações durante o parto, pois o grande tamanho do bebé pode provocar a laceração do períneo e perda de sangue. A macrossomia também pode implicar uma grande probabilidade de ter um parto por cesariana, pois é possível que os médicos prefiram recorrer a esta para garantir uma maior segurança tanto do bebé, como da mamã. Se o parto se complicar devido a uma distocia do ombro, existe o risco de uma fratura na clavícula do bebé.

(Também lhe interessa: Complicações durante o parto: parto com fórceps)

Como recuperar deste tipo de parto

O mais habitual nos partos com macrossomia é a mãe ter lacerações do períneo. Também pode afetar o cóccix, que pode fraturar. Em todos os casos, dever-se-ão seguir escrupulosamente as indicações do médico para se assegurar que as feridas são curadas corretamente, de modo a evitar possíveis infeções.

No caso da mamã ter tido diabetes durante a gravidez, os níveis de glucose devem regressar aos normais depois do parto. É importante que alguns meses depois de dar à luz consulte o médico para verificar os níveis de glucose, pois algumas mulheres que sofrem de diabetes gestacional padecem depois de diabetes pós-parto.

(Também lhe interessa: Exercícios de Kegel: veja como reforçar o pavimento pélvico)

Teve um filho com macrossomia fetal? Como viveu ou está a viver a gravidez?

Também lhe interessa…