scorecardresearch
Siga-nos
Mi bebé y yo

Cesariana: como recuperar rapidamente

( 46 votos) load
facebook twitter whatsapp

Fez uma cesariana? Se assim foi, o pós-operatório da cesariana costuma ser bastante duro, sobretudo nas primeiras semanas. Para enfrentar melhor este período, oferecemos os nossos conselhos quanto à cicatrização, as dores, a amamentação, e tudo o que precisa de saber.

É sempre preferível que o bebé nasça de parto natural. No entanto, hoje em dia são muitas as cesarianas que se praticam. Na maioria dos casos, o tamanho ou uma má posição do bebé são algumas das causas que obrigam a esta intervenção.

Como é praticada? A cesariana é uma operação que consiste numa incisão na parede do útero a fim de retirar o bebé. Pode ser programada, ou então, decidida no último momento, para garantir o bem-estar tanto da mãe como do bebé.

Como é a recuperação da cesariana?

Como toda a operação, a cesariana também requer um pós-operatório e o este, aliás, é bastante difícil e complicado. O cansaço após dar à luz, o incómodo dos pontos, o facto de ter de dar de mamar… acontece tudo ao mesmo tempo.

Por tudo isto, é muito importante que tenha alguns factos em atenção. Vamos dar-lhe algumas recomendações sobre o que precisa de saber para não se deparar com surpresas inesperadas nas horas e semanas posteriores à cesariana.

 



Cansada e desorientada? Não se preocupe!

Uma vez terminada a operação e já de volta ao quarto do hospital, será assistida durante algumas horas, o tempo necessário para o seu organismo recuperar totalmente a eficácia e funcionalidade. Vai ser alimentada e hidratada por via endovenosa até que consiga fazer a sua primeira refeição sólida, que será o jantar. Além disso, vão colocar-lhe uma sonda que lhe permitirá esvaziar a bexiga com regularidade, até que o xixi seja abundante e de cor normal. Em alguns hospitais, o anestesista deixa o cateter da epidural colocado, durante um período de tempo entre 24 e 48 horas após a intervenção, de modo a controlar a administração do analgésico nesta fase. O mesmo sucede quando a cesariana foi complicada (com hemorragias ou outros problemas) e existe a possibilidade de ter de se efetuar uma intervenção suplementar. Por último, em alguns casos, pode ser aplicado um dreno na ferida, para escoar eventuais perdas de sangue.

0

Cansada e desorientada? Não se preocupe!

Uma vez terminada a operação e já de volta ao quarto do hospital, será assistida durante algumas horas, o tempo necessário para o seu organismo recuperar totalmente a eficácia e funcionalidade. Vai ser alimentada e hidratada por via endovenosa até que consiga fazer a sua primeira refeição sólida, que será o jantar. Além disso, vão colocar-lhe uma sonda que lhe permitirá esvaziar a bexiga com regularidade, até que o xixi seja abundante e de cor normal. Em alguns hospitais, o anestesista deixa o cateter da epidural colocado, durante um período de tempo entre 24 e 48 horas após a intervenção, de modo a controlar a administração do analgésico nesta fase. O mesmo sucede quando a cesariana foi complicada (com hemorragias ou outros problemas) e existe a possibilidade de ter de se efetuar uma intervenção suplementar. Por último, em alguns casos, pode ser aplicado um dreno na ferida, para escoar eventuais perdas de sangue.

Alívio imediato da dor e do mal-estar

Atualmente, é habitual administrar à mãe um analgésico assim que entra no quarto, antes que surja o menor sinal de mal-estar. Regra geral, este tratamento mantém-se durante os primeiros quatro dias após o parto. De qualquer modo, deve-se alertar o pessoal médico no caso de qualquer mal-estar (por exemplo, náuseas).

1

Alívio imediato da dor e do mal-estar

Atualmente, é habitual administrar à mãe um analgésico assim que entra no quarto, antes que surja o menor sinal de mal-estar. Regra geral, este tratamento mantém-se durante os primeiros quatro dias após o parto. De qualquer modo, deve-se alertar o pessoal médico no caso de qualquer mal-estar (por exemplo, náuseas).

Pode amamentar desde o princípio

Nada impede que a mãe dê de mamar desde o primeiro momento. O que importa é que ambos, mãe e bebé, estejam confortáveis. A mãe pode-se deitar de lado e pedir ajuda às enfermeiras, que colocarão o bebé com a boca à altura do peito. A mãe também se poderá sentir mais confortável deitada de barriga para cima, com o bebé colocado debaixo na axila e a cabecinha sobre o peito. Durante a amamentação, é completamente normal que sinta algumas contrações: são as chamadas ‘dores tortas’ que, pouco a pouco, devolvem o útero ao seu tamanho habitual.

2

Pode amamentar desde o princípio

Nada impede que a mãe dê de mamar desde o primeiro momento. O que importa é que ambos, mãe e bebé, estejam confortáveis. A mãe pode-se deitar de lado e pedir ajuda às enfermeiras, que colocarão o bebé com a boca à altura do peito. A mãe também se poderá sentir mais confortável deitada de barriga para cima, com o bebé colocado debaixo na axila e a cabecinha sobre o peito. Durante a amamentação, é completamente normal que sinta algumas contrações: são as chamadas ‘dores tortas’ que, pouco a pouco, devolvem o útero ao seu tamanho habitual.

Prevenir o risco de flebite

Em alguns hospitais, às mães que deram à luz por cesariana é administrado um tratamento anticoagulante. Isto para prevenir o risco de flebite (formação de coágulo numa veia das extremidades inferiores). A administração do medicamento é feita com uma injeção e prolonga-se por alguns dias.

3

Prevenir o risco de flebite

Em alguns hospitais, às mães que deram à luz por cesariana é administrado um tratamento anticoagulante. Isto para prevenir o risco de flebite (formação de coágulo numa veia das extremidades inferiores). A administração do medicamento é feita com uma injeção e prolonga-se por alguns dias.

Reativar o funcionamento do intestino

É normal que a função intestinal se torne mais lenta devido aos efeitos da anestesia, a alguns procedimentos exigidos pela operação e à imobilidade parcial dos dias posteriores à cesariana. A soma destes fatores conduz, na maioria dos casos, a acumulação de gases e prisão de ventre. Para estimular a reativação da peristalse (os movimentos intestinais), é necessário que, desde o primeiro dia, a mãe tenha a oportunidade de tomar uma bebida e comer uma ou duas bolachas. Se esta medida não for suficiente, pode massajar a barriga no sentido dos ponteiros do relógio, inspirando durante bastante tempo, e fazendo força para expulsar os gases do abdómen. Não há motivos para recear que a ferida se abra. Dar uns passos também pode ajudar a pôr o intestino em movimento. Em poucos dias, tudo voltará ao normal.

4

Reativar o funcionamento do intestino

É normal que a função intestinal se torne mais lenta devido aos efeitos da anestesia, a alguns procedimentos exigidos pela operação e à imobilidade parcial dos dias posteriores à cesariana. A soma destes fatores conduz, na maioria dos casos, a acumulação de gases e prisão de ventre. Para estimular a reativação da peristalse (os movimentos intestinais), é necessário que, desde o primeiro dia, a mãe tenha a oportunidade de tomar uma bebida e comer uma ou duas bolachas. Se esta medida não for suficiente, pode massajar a barriga no sentido dos ponteiros do relógio, inspirando durante bastante tempo, e fazendo força para expulsar os gases do abdómen. Não há motivos para recear que a ferida se abra. Dar uns passos também pode ajudar a pôr o intestino em movimento. Em poucos dias, tudo voltará ao normal.

Primeiros passos com a enfermeira

Nas primeiras 24 horas, é preciso ficar deitada de costas, para facilitar a circulação e a cicatrização. Embora esta imobilidade possa parecer frustrante, é sempre bom atender aos conselhos do pessoal médico. Mais tarde, em 24-48 horas, já será possível levantar-se, claro, com a ajuda de uma enfermeira: deve colocar-se de lado, fletir as pernas e sentar-se, apoiando-se nos braços. Uma vez sentada, a mãe terá de colocar os pés bem assentes no chão e, com a ajuda de outra pessoa, poderá levantar-se, olhando sempre em frente.

5

Primeiros passos com a enfermeira

Nas primeiras 24 horas, é preciso ficar deitada de costas, para facilitar a circulação e a cicatrização. Embora esta imobilidade possa parecer frustrante, é sempre bom atender aos conselhos do pessoal médico. Mais tarde, em 24-48 horas, já será possível levantar-se, claro, com a ajuda de uma enfermeira: deve colocar-se de lado, fletir as pernas e sentar-se, apoiando-se nos braços. Uma vez sentada, a mãe terá de colocar os pés bem assentes no chão e, com a ajuda de outra pessoa, poderá levantar-se, olhando sempre em frente.

Foto 1 de 6
0
1
2
3
4
5

Também lhe interessa

Cesariana: como recuperar rapidamente | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)

Registro