Mi bebé y yo

Em que consiste o Método Ferber (ou Ferberização) para adormecer o bebé?

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

O Método Ferber para adormecer o bebé foi impulsionado pelo pediatra Richard Ferber, fundador do Centro Pediátrico para os Transtornos no Sono no Hospital Infantil de Boston. Não obstante, apesar da sua popularidade, esta técnica não é bem recebida por todos os pais. Explicamos-lhe, em seguida, no que consiste a Ferberização.

O que é a Ferberização?

O pediatra americano Richard Ferber foi o fundador e diretor do “Centro para os transtornos do sono” do Children’s Hospital em Boston. Durante a sua etapa nessa instituição, analisou e estudou as desordens das crianças no momento de dormir durante mais de 20 anos. A partir dessa investigação, em 1985 publicou um livro intitulado “Solve Your Child'S Sleep Problems, onde explicava um método que é normalmente chamado de “Ferberização”.

(Também lhe interessa: Rotinas que funcionam para adormecer o bebé)

Como funciona o Método Ferber

Ferber estipula que o bebé aos 3 mesese até aos 5 meses está física e emocionalmente preparado para começar a dormir sozinho. É então que se pode começar a levar a cabo o passo a passo que o autor propõe. Para começar, recomenda que se crie uma rotina especial com o bebé para o ajudar a dormir: dar-lhe um banho relaxante, uma massagem suave, aconchegá-lo no peito materno, etc.

Uma vez que o bebé já tenha entrado numa fase de bem-estar físico e emocional, há que pô-lo na sua cama acordado e deixá-lo sozinho durante períodos de tempo que irão aumentando progressivamente, pois é a forma correta de o ensinar a adormecer de forma autónoma. Enquanto tenta conseguir fazê-lo, o bebé pode começar a chorar, mas neste caso recomenda-se que não se lhe dê de comer nem o agarre ao colo, apenas o pode consolar.

Se, ainda assim, continua a chorar, deve esperar-se um pouco mais até que se consiga descobrir se o seu choro simplesmente convida os pais a aproximarem-se. Como tal, é um método completamente oposto ao do co-sleeping. Não obstante, segundo Ferber, é muito efetivo para que o bebé adquira a capacidade de adormecer sozinho, estando sempre seguro de que os seus pais estão atentos e o acalmam. Além disso, oferece flexibilidade horária para momentos nos quais a criança está doente ou, por exemplo, toda a família está a viajar.

(Também lhe interessa: Perturbações do sono em bebés e crianças)

Porque é que este método causa tanta discórdia?

Apesar do médico criar uma rotina que antecede o momento de deixar o bebé no seu berço baseada no vínculo afetivo, bem como convidar os pais a visitarem o seu filho enquanto adormece, o método não convence toda a gente. O principal motivo desta apreensão deve-se ao facto de os pais não gostarem de ver os seus bebés a chorar e ser muito difícil evitar agarrá-los ao colo.

Além disso, outros especialistas em educação infantil defendem que o método pode afetar o sentimento de segurança, bem como gerar episódios de stress ou até provocar uma rejeição ao carinho fraternal no futuro.

(Também lhe interessa: O ambiente ideal para o bebé dormir)

Conhecia esta técnica para adormecer o bebé? O que pensa deste método que oferece o pediatra R. Ferber para que o seu filho aprenda a adormecer?

Também lhe interessa

O Método Ferber (ou Ferberização) para adormecer o bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (4)

Nunca iria ter coragem de fazer isso à minha pequenina. Sempre tive a sorte de ela dormir quase toda a noite sem grandes dramas, e não julgo quem não consegue dormir e tente todas as abordagens/técnicas que existem, mas isto parece-me bastante difícil de aguentar..
Só de imaginar ouvir a bebé a chorar e não ir ver o que se passa até me dá um aperto no coração..
Acho uma irresponsabilidade descrever esse método na vossa revista ????. Na realidade os bebés não aprendem a adormecer sozinhos nem a acalmar-se sozinhos. O que aprendem é que não vem ninguém quando eles choram, a isto chama-se “desânimo aprendido”. É um pouco depressivo para um bebé aprender isso logo no início da sua vida. Em termos neurológicos, quando os bebés estão a chorar estão em stress, estão a pedir ajuda porque dependem do outro para sobreviver e, por isso, libertam cortisol — o cortisol em excesso e durante longos períodos (ou períodos repetidos) vai literalmente queimar neurónios. Atenção que este é o período de maior desenvolvimento e crescimento cerebral que nós temos na vida. Além disso, sabemos que quando o bebé se cala, mesmo passados dois ou três dias, os níveis de cortisol continuam elevados e a destruição de ligações também continua. Ou seja isto tem más consequências para o desenvolvimento dos bebés.
Já conhecia este método e acho bárbaro e completamente ultrapassado. Sou incapaz de fazê-lo à minha bebé. Sou ávida defensora do colo e aconchego, da transmissão de segurança. Acredito que os bebés têm todos diferentes tempos de adaptação e acho que têm tempo suficiente para se habituarem à força, ao que quer que seja, quando forem crescidos. E não acredito que sejam criados "maus hábitos" ou "excesso de mimo" com este sistema, esses, têm a ver com inúmeros outros factores e revelam-se nas crianças mais tartde.
Como adepta e praticante do co-sleeping, este método seria difícil para mim de implementar. O meu bebe chora muito e noto que se acalma no contacto comigo, com o meu toque, o meu embalo. Apesar de ser mais dependente de mim, sinto que pegar nele ao colo, embalar um pouco, cantar uma música ou um mantra, dar um beijinho na sua testa, são gestos mais ternurentos, afectuosos e relaxantes para o meu bebe.