O meu bebé

Causas e diagnóstico da hipogalactia

Porque é que não tenho leite? Como é que sei se posso amamentar? Estas são algumas das perguntas que as mães fazem quando notam que produzem pouco leite que lhes permita alimentar devidamente o seu bebé. Neste artigo respondemos a todas as suas questões.

A hipogalactia (do grego hypo, que significa “escassez de” ou “debaixo de”, e galakto, que quer dizer “leite”) é a secreção láctea insuficiente, seja depois do parto ou após algumas semanas de dar à luz. Quais são as suas causas, como se diagnostica e qual o tratamento mais adequado?

(Também lhe interessa: Os erros mais comuns amamentação: esteja atenta!)

Quais são as causas da hipogalactia

Regra geral, as causas da hipogalactia podem classificar-se entre as hormonais (prolactina e oxitocina diminuídas devido a fatores tais como a placenta retida, os ovários policísticos, certos medicamentos, as drogas, o hipotiroidismo ou a diabetes), nutricionais (desnutrição grave, desidratação), glandulares (hipoplasia primária ou secundária) e pós-natais (separação mãe-filho ou esvaziamento insuficiente: obstrução por edema ou ingurgitação, bem como extração insuficiente).

As causas mais frequentes de hipogalactia, portanto, são o stress, o cansaço da mãe, assim como o início tardio da amamentação, a separação da mãe e do seu bebé ou o uso de chupeta, entre outros. Também se relacionou a hipogalactia com um parto problemático ou distócico.

(Também lhe interessa: Tabaco e amamentação: o que deve ter em conta?)

Diagnóstico da hipogalactia

É importante diagnosticar devidamente a hipogalactia por um especialista, pois muito frequentemente a ansiedade da mãe devido ao baixo peso do bebé ou o seu incessante choro podem levá-la a pensar que sofre de hipogalactia quando, na realidade, apenas seja devida a uma má prática na amamentação, ao stress ou ao cansaço.

Para descartar a amamentação mal praticada, é importante saber como se amamenta corretamente. Neste sentido, convém oferecer o peito à criança desde que nasce, manter um contacto pele a pele muito frequentemente, bem como evitar a chupeta e outros conselhos que poderá encontrar na secção de amamentação de O Meu Bebé.

Também lhe interessa…