Mi bebé y yo

Hormona anti-Mülleriana: o que deve saber?

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

Através de uma análise da hormona anti-Mülleriana pode saber a quantidade de óvulos válidos que tem disponíveis se quiser ter um filho. Deste modo poderá ter uma ideia do tempo de que dispõe para ter filhos e se é aconselhável preservar a sua fertilidade.

A hormona anti-Mülleriana (AMH) é uma substância segregada pelos folículos ováricos e constitui um método inovador para medir a reserva ovárica da mulher, que engloba tanto a quantidade de ovócitos (óvulos) que tem a mulher como a qualidade dos mesmos. Assim, a análise da hormona anti-Mülleriana permite saber a quantidade de óvulos válidos que a mulher ainda tem nos ovários.

Além desta análise, que pode realizar-se em qualquer dia do ciclo menstrual, existem outras técnicas para medir a reserva ovárica de uma mulher, como a idade, a contagem dos folículos antrais, etc. Quando um casal que quer ter filhos tem dificuldade para o conseguir e recorre a um especialista, muito provavelmente este vai aconselhar a que a mulher realize a análise da hormona anti-Mülleriana, pois esta vai permitir ao médico orientar-se nas opções de tratamento e calcular a probabilidade de gestação.

(Também lhe interessa: Dificuldade para ficar grávida: causas)

Aspetos importantes acerca da hormona anti-Mülleriana

A hormona anti-Mülleriana é a responsável por diferenciar os órgãos reprodutivos masculinos e femininos no embrião quando se encontra no útero materno. Não obstante, quando as mulheres são adultas, a hormona em questão produz-se nos ovários, nas células da granulosa que rodeiam o óvulo. Vejamos alguns aspetos a ter em conta:

- A hormona anti-Mülleriana é produzida pelos folículos mais pequenos que há no ovário, controlando o seu crescimento e o gasto de óvulos. Por esta razão, ajuda a medir a reserva ovárica, ou seja, os óvulos que estão armazenados no ovário.

- A hormona anti-Mülleriana vai diminuindo progressivamente com a idade.

- A reserva ovárica que temos no ovário não se altera com a gravidez nem com a pílula anticoncecional.

- Os níveis da hormona anti-Mülleriana não variam muito ao longo do ciclo menstrual e podem medir-se em qualquer momento do mês.

Para calcular as possibilidades de êxito de um tratamento de reprodução assistida, os médicos avaliam em conjunto a idade e os níveis de reserva ovárica, pelo que uma ecografia e uma análise da hormona anti-Mülleriana são imprescindíveis. Se está a pensar ter filhos, pode realizar uma análise da hormona anti-Mülleriana para ter uma ideia de quanto tempo pode esperar. Além disso, esta análise também lhe dirá se é recomendável preservar a sua fertilidade com um tratamento de vitrificação de ovócitos.

(Também lhe interessa: Técnicas de reprodução assistida; tipos e diferenças)

Alguma vez realizou uma análise da hormona anti-Mülleriana para saber de que reserva ovárica dispõe? Partilhe a sua experiência com outras mamãs.

Também lhe interessa

Hormona anti-Mülleriana: o que deve saber? | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)