O meu bebé

Teste do pezinho: em que consiste e o que deteta

O teste do pezinho é um exame simples que permite detetar de forma precoce uma série de doenças congénitas, que podem trazer graves problemas ao bebé. Descubra, neste artigo, quais são esses problemas, em que momento se faz o exame e que doenças deteta.

O teste do pezinho realiza-se nos bebés logo após o seu nascimento e ajuda a detetar o aparecimento de atrasos graves no desenvolvimento físico e mental dos bebés. Em que consiste exatamente esta análise e quais as doenças que deteta?

Quais as doenças que podem ser detetadas pelo teste do pezinho?

O teste do pezinho consiste em extrair umas gotas de sangue, através de uma simples picada no calcanhar. Trata-se de um primeiro passo para detetar doenças metabólicas congénitas, como o hipotiroidismo congénito ou a fenilcetonuria, patologias que causam sérios problemas, mas que, se descobertos e tratados a tempo, não deixam sequelas, podendo quem as sofre levar uma vida normal.

O teste do pezinho é feito a todos os recém-nascidos nos primeiros dias de vida, de acordo com as instruções do médico sobre a necessidade, ou não, de fazer uma segunda extração. É fundamental que os seus resultados se conheçam o mais brevemente possível, para que, no caso de ser detetada uma metabolopatia na criança, o tratamento seja iniciado imediatamente, a fim de evitar complicações mais graves.

 

pezinho

 

Fenilcetonuria: sintomas e tratamento

Trata-se de uma patologia hereditária, que se produz por defeito de uma enzima que não metaboliza bem a fenilalanina, um aminoácido essencial para o organismo, porém que, ao acumular-se em excesso, causa atraso cerebral grave e problemas do sistema locomotor.

A fenilcetonúria manifesta-se pelo aparecimento de eczemas cutâneos, microcefalia, hiperatividade, espasmos nos braços e pernas, convulsões e posição anormal das mãos.

(Também lhe interessa: Febre: O que fazer ao bebé com febre?)

Estes problemas podem ser evitados se for aplicado o tratamento adequado, que consiste numa dieta fraca em fenilalanina, pelo que se deve eliminar o consumo de alimentos que a contenham: ovos, leite, peixe, adoçantes, etc. É muito importante manter esta dieta até, pelo menos, aos 21 anos de idade.

Hipotiroidismo congénito: sintomas e tratamento 

Esta doença é de origem genética. Surge quando a glândula da tiroide não segrega corretamente a hormona T4. Esta hormona é essencial para o desenvolvimento do cérebro e, além disso, controla os níveis de gordura corporal e influencia o desenvolvimento físico.

As pessoas com hipotiroidismo congénito sofrem de atraso mental, obesidade e problemas de crescimento. Os primeiros sintomas no bebé manifestam-se sob a forma de icterícia, língua proeminente, pele seca, tendência para a sonolência e diminuição de vitalidade.

(Também lhe interessa: Icterícia no bebé: o que fazer)

O tratamento deve manter-se ao longo da vida e consiste em tomar as doses corretas da hormona T4. Está provado que as pessoas que seguiram de forma correta e precoce este tratamento conseguiram um desenvolvimento intelectual completamente normal, ao longo da sua infância e vida adulta.

teste pezinho

 

Porque é que se repete o teste o pezinho?

Em princípio, o teste do pezinho realiza-se uma única vez. A amostra de sangue que é extraída ao recém-nascido é recolhida logo após o nascimento no hospital ou maternidade e é enviada o laboratório para análise.

Uma vez obtido o resultado, envia-se por carta ou telefona-se aos pais do bebé, indicando se o teste é positivo ou negativo, tal como os passos a seguir no caso de se ter detetado alguma alteração.

No entanto, em algumas circunstâncias, deve repetir-se o teste do pezinho e recolher uma segunda amostra de sangue:

  • Após 72 horas do nascimento se se teve de realizar uma transfusão de plasma do bebé.
  • Após 15 dias do nascimento se o peso do bebé for inferior a 2,5 Kg, ou no caso de ser prematuro de menos de 37 semanas de gestação.
  • Aos três meses, se o bebé recebeu uma transfusão de sangue com concentrado de glóbulos vermelhos.
  • Em qualquer momento determinado pelo laboratório ou pela equipa médica, no caso de ser necessária uma análise mais exaustiva, ou de ser necessário verificar um resultado.
  • Se o recém-nascido tiver síndroma de Down.
  • Se o parto foi múltiplo.
  • Se a mãe sofrer de alguma doença de tiroide.