O meu bebé

Gémeos siameses: o que é e porque acontece?

O que são os siameses? Porque é que algumas crianças nascem assim? Quais são as principais causas de tal acontecer? Que tipo de siameses há? Neste artigo explicamos-lhe ao pormenor todos estes conceitos.

Os siameses são gémeos que não se conseguiram separar por completo no ventre materno. A união produz-se devido a um problema do desenvolvimento das células dos embriões monozigóticos. A divisão das células dá-se de forma mais tardia do que no caso dos gémeos e, quanto mais tempo passar, mais órgãos se terão de partilhar. Não se trata de um defeito genético mas sim de uma mutação durante o desenvolvimento do embrião.

Porque é que se chamam siameses?

Este termo surgiu em meados do século XIX e tornou-se internacional devido à fama do caso dos irmãos Eng Bunker e Chang, nascidos em Siam (Tailândia), unidos por uma cartilagem entre o peito e o abdómen. Os gémeos viveram deste modo durante 63 anos e ficaram famosos porque foram contratados como curiosidade circense em 1829.

Depois de conseguirem muito dinheiro, em 1839, instalaram-se na Carolina do Norte e casaram-se com as irmãs Adelaida e Sarah Yates, com as quais tiveram 10 e 12 filhos, respetivamente. Morreram em 1874 depois de Chang ter uma pneumonia grave. O seu irmão sabia que era também o seu momento. Três horas mais tarde, Eng deu o seu último suspiro, depois de ter sofrido uma crise de ansiedade causada pelo pânico.

(Também lhe interessa: Gémeos: guia prático)

Quais são as causas de existirem gémeos siameses?

Atualmente não existe nenhuma explicação científica para este facto. A teoria mais conhecida é a da fusão, que causa a separação tardia do disco embrionário, daí que os gémeos monozigóticos que não se tenham separado nas primeiras semanas possam nascer unidos de alguma forma.

Os casos de siameses são muito raros. De facto, apenas um em cada 200.000 nascimentos são de siameses, sendo que África é o continente onde se observam mais casos. Por outro lado, 70% dos casos são meninos e a sua mortalidade é elevada: apenas 25% sobrevivem e o resto falece devido a complicações.

Que tipo de siameses há?

Os siameses categorizam-se consoante as partes do corpo partilhadas ou unidas:

  • Os siameses simétricos são aqueles que estão unidos simetricamente, seja pela zona do externo (siameses toracópagos), pelas costas (pigópagos), pela pélvis inferior ou pelo coxis (isquiópagos) ou pelo crânio (craniópagos), embora também possam ser bicéfalos, um caso extremamente raro em que duas cabeças partilham o mesmo corpo.
  • Os siameses assimétricos, por outro lado, são aqueles que estão unidos de forma assimétrica. Um deles é mais pequeno e depende completamente do outro. O mais pequeno costuma estar incompleto podendo chegar a funcionar como uma espécie de parasita, embora mais desenvolvido.
  • (Também lhe interessa: Ecografias na gravidez: quantas, quando e para quê)

Os siameses podem ser separados?

Sim, em muitos casos conseguiu-se separar dois irmãos com sucesso. No entanto, antes tem de se avaliar até que ponto é viável, observando os órgãos que estão completos. Em muitos casos, os pais confrontam-se com um dilema ético, dado que é preciso escolher qual o bebé que tem mais probabilidades de sobreviver.

O caso dos gémeos simétricos é muito mais complicado, pois costuma haver partilha de órgãos. A percentagem de sobrevivência uma vez separados é de 53% e, no caso dos assimétricos, ascende a 90%.

Os casos bem-sucedidos demonstraram que a qualidade de vida depois da operação é boa sempre que a cirurgia se tenha realizado atempadamente e, obviamente, sempre que a união não tenha implicado órgãos delicados, como é o caso do coração.

Conhece algum caso de gémeos siameses?

O que pensa disto?