O meu bebé

Como evitar que a chegada do frio afete o teu bebé

Excesso de roupa, mudanças bruscas de temperatura, ambientes secos e mucosidade são os principais inimigos do recém-nascido. Recomendações para preparar o bebé para a chegada do frio.

O Outono e o Inverno são estações especialmente complicadas para o cuidado do bebé. É importante preparar-se para a chegada do frio e, deste modo, evitar o mal-estar que pode afetar o recém-nascido.

“Em primeiro lugar, existe um aumento no número de falecidos devido ao Síndrome de Morte Súbita do Lactente (SMSL) entre os bebés nascidos nos meses frios”, explica a farmacêutica dos Laboratórios Suavinex, Belén Benito, que assinala que “para o prevenir, é fundamental evitar que o lactente seja exposto ao sobreaquecimento devido ao excesso de roupa e calefação”. O frio não é o principal inimigo do bebé, mas sim as mudanças bruscas de temperatura. “Devem vigiar-se os contrastes causados pelas saídas para lugares frios”, afirma Belén.

Outro ponto importante refere-se aos cuidados específicos que a pelo do bebé requere durante as estações mais frias do ano. É imprescindível extremar o cuidado na alimentação do bebé com o aporte de nutrientes suficientes que o ajudem a reforçar o seu sistema imunitário.

Recomendações para preparar o bebé face à chegada do frio

  1. Durante os meses de frio deve evitar-se agasalhar demasiado o bebé ou mantê-lo em divisões com o aquecimento muito alto que possam provocar um sobreaquecimento corporal. Estudos médicos relacionam de maneira direta este fator com o aumento durante estas estações de mortes de lactentes por SMSL.
  2. É importante não expor o lactente a mudanças bruscas de temperatura e tentar sair com ele nas horas centrais do dia, quando os contrastes são menos fortes.
  3. No ambiente do bebé deve manter-se uma temperatura constante que ronde os 20ºC e um nível de humidade de, no mínimo, 50%.
  4. A temperatura corporal do bebé deve medir-se na nuca e no pescoço. O mecanismo de termorregulação do recém-nascido ainda não está completamente desenvolvido, pelo que outros sinais (cor da pele, suor, mãos frias ou quentes) podem induzir-nos em erro.
  5. Um ambiente demasiado seco pode impedir que o organismo do lactente expulse de forma correta as impurezas, dado que o nariz fica obstruído e tal pode causar-lhe dor de garganta e tosse.
  6. Durante as estações mais frias é frequente o aparecimento de mucosidade mais abundante, pelo que há que manter a higiene das mucosas do bebé através do uso continuado de soro fisiológico e do aspirador nasal.
  7. A delicada pele do bebé acusa durante os meses frios o calor provocado pelo aquecimento e a fricção da roupa, pelo que é importante usar peças de roupa suaves e que não sejam justas, de modo a permitir a ventilação da pele.
  8. É importante hidratar a epiderme do bebé com cremes com ativos hidratantes e emolientes, se possível de origem vegetal, bem como pomadas calmantes e reparadoras para a zona à volta da boca, que pode ser especialmente afetada pelo vento.
  9. Dado que o seu sistema imunitário é ainda frágil, devem extremar-se as medidas higiénicas na sua alimentação, seja no caso de amamentar com biberão ou mama.
  10. Nunca se deve medicar um bebé sem a supervisão de um pediatra e é importante seguir as indicações aconselhadas (doses, intervalos entre tomas, duração do tratamento…).