Mi bebé y yo

Teste de O’Sullivan: controlo da diabetes gestacional

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

Durante a gravidez a mulher sofre várias alterações hormonais que afetam o seu organismo. Estas mudanças hormonais podem fazer com que se bloqueie a ação da insulina, o que faz com que o nível de glicose no sangue aumente. O teste de O’Sullivan serve para detetar uma possível diabetes gestacional.

A diabetes gestacional acontece quando, devido às alterações hormonais causadas pela gravidez, se altera o normal funcionamento da insulina, provocando um aumento de glucose no sangue. Esta situação pode provocar algumas reações na mulher grávida, bem como no desenvolvimento da gravidez e no parto, com um maior risco de morte para o bebé, que este sofra de baixas de glicose após o nascimento, ou que o bebé seja maior, o que aumenta os riscos durante o parto.

O teste de O’Sullivan permite saber se a mulher grávida tem os níveis de glicose adequados, o que ajuda a evitar os problemas derivados da diabetes gestacional.

Em que consiste o Teste de O’Sullivan

O Teste de O’Sullivan costuma realizar-se entre as 24 e as 28 semanas de gravidez de gestação pois é o período onde as alterações hormonais podem afetar mais o funcionamento da insulina. O exame pode realizar-se noutros momentos da gravidez, como nos casos em que existem antecedentes familiares de diabetes, se já se teve diabetes gestacional num parto anterior, se a mulher tem mais de 35 anos ou excesso de peso antes da gravidez, ou se num parto anterior deu à luz um bebé de mais de 4 quilos.

Embora seja um exame opcional, recomenda-se que todas as mulheres grávidas realizem o Teste de O’Sullivan para evitar os riscos da diabetes gestacional. Podem ficar excluídas as menores de 25 anos que tenham um peso normal e sem fatores de risco.

O teste consiste em medir o nível de glucose no sangue, tomar uma solução de 50 gramas de glucose, dissolvidos em 200 cl de água e, uma hora depois, fazer outra medição de glucose no sangue para verificar se a insulina trabalha corretamente.

Para realizar o Teste de O’Sullivan não é necessário estar em jejum, é até recomendável comer qualquer coisa antes do exame, pois a solução de glucose cai mal a muitas mulheres grávidas, provocando enjoos ou até vómitos, o que faria com que o teste não resultasse.

(Também lhe interese: Epidural no parto: benefícios e efeitos secundários)

Resultados e alternativas ao Teste de O’Sullivan

Os níveis de glucose no sangue, nas duas medições realizadas no Teste de O’Sullivan, devem ser inferiores a 140 mg/dl. Se os resultados forem iguais ou superiores a esse nível podem indicar que a mulher tem intolerância aos hidratos de carbono, ou diabetes gestacional. Se os níveis forem superiores a 200 mg/dl diagnostica-se diabetes gestacional e deve repetir-se o teste para sua confirmação.

Se os resultados obtidos forem iguais ou superiores a 140 mg/dl sem chegar aos 200 mg/dl deve realizar-se outro tipo de exame chamado Teste de Tolerância Oral à Glucose (TTOG), também conhecido como “curva de glucose”, “curva das três horas” ou “curva longa”, que serve para diagnosticar a diabetes gestacional.

No TTOG tomam-se 100 gramas de glucose e realizam-se quatro medições em intervalos de uma hora. Se um valor supera o limite correspondente repete-se o exame três semanas depois. Se volta a superar o limite diagnostica-se intolerância à glucose. Se forem dois os valores que superam os limites trata-se de diabetes gestacional.

Também lhe interessa

Teste de O’Sullivan: controlo da diabetes gestacional | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)