Mi bebé y yo

O que é a hiperémese gravídica?

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

Ter náuseas e vómitos durante a gravidez é normal, especialmente durante os primeiros meses. Mas existe uma forma extrema de náuseas e vómitos na gravidez, conhecida como hiperémese gravídica, capaz de fazer com que as mulheres que sofrem deste transtorno possam chegar a vomitar mais de 30 vezes por dia.

As náuseas e os vómitos são dos sintomas mais típicos da gravidez, que se dão, sobretudo, durante os primeiros meses de gestação. Não obstante, em alguns casos, estes enjoos e vómitos são tão intensos que fazem com que a futura mamã chegue a vomitar até mais de 30 vezes por dia. É o que se conhece como hiperémese gravídica.

Devido às consequências da hiperémese gravídica, produzem-se no corpo sinais evidentes de desidratação, perda de peso (de 4 a 19 quilos) e cetose (défice de hidratos de carbono, pelo que o corpo utiliza as gorduras como fonte primária de energia, em vez dos glúcidos.

(Também lhe interessa: Fibroma: gravidez e segurança do bebé)

Hiperémese gravídica: diagnóstico e tratamento

Quando uma mulher apresenta sintomas de enjoos e vómitos incontroláveis e de forma persistente durante a sua gravidez, os médicos levam a cabo uma análise sanguínea completa, uma análise de urina em busca de cetonas, assim como uma avaliação clínica completa (medir a frequência e intensidade dos sintomas, controlo do peso com regularidade, medição de eletrólitos, etc).

Devido ao amplo espetro de severidade da hiperémese gravídica, o tratamento que o médico poderá prescrever à paciente será sempre de forma gradual, ou seja, vai começar por prescrever, por exemplo, a ingestão de alimentos paliativos como o gengibre, e de algum fármaco como a doxilamina ou o dimenidrinato (biodramina). Se os sintomas piorarem o médico poderá prescrever paulatinamente medicamentos mais fortes.

(Também lhe interessa: Anemia na gravidez)

Kate Middleton sofreu de hiperémese gravídica

A percentagem de prevalência da hiperémese gravídica é muito baixa, acredita-se que afete apenas entre 0,5 e 2 % das mulheres grávidas. Não se conhecem as suas causas mas verificou-se que é mais frequente em gravidezes múltiplas.

Também se acredita que é genético, pois as mulheres que sofreram hiperémese gravídica na primeira gravidez voltam a sofrê-la em gravidezes posteriores. Foi o caso da duquesa de Cambrigde, Kate Middleton, que sofreu de hiperémese gravídica nas suas duas gravidezes. De facto, durante as suas duas gestações, foram comentados em muitas ocasiões os seus frequentes internamentos no hospital.

Neste sentido, também cabe mencionar que o internamento das mulheres grávidas no hospital devido a esta doença é frequente.

(Também lhe interessa: Repouso relativo e absoluto durante a gravidez)

Sofreu de hiperémese gravídica durante a gravidez? Quais os conselhos que daria às mulheres grávidas que sofrem deste transtorno? Convidamo-la a partilhar em seguida as suas experiências.

Também lhe interessa

O que é a hiperémese gravídica? | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)