Mi bebé y yo

O que é e como se trata o mutismo seletivo infantil

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

O mutismo seletivo é uma perturbação na qual uma criança que pode falar normalmente o deixa de fazer em determinados contextos (na escola, nos centros comerciais ou, simplesmente, fora de casa) e, frequentemente, de forma súbita. Como é que se deve atuar nestes casos?

O mutismo seletivo infantil é um transtorno que se tem de tratar pois, caso contrário, pode piorar. Daí a importância de consultar um profissional logo que se detetem os primeiros sintomas.

Os sintomas do mutismo seletivo

Entre os sintomas do mutismo inclui-se a timidez, a ansiedade ao estar com pessoas pouco conhecidas, as dificuldades e incapacidade para falar em determinados contextos e situações, quando tal não se verifica nem em casa, nem com a família mais próxima.

Os sintomas do mutismo seletivo infantil deverão observar-se, pelo menos, durante um mês para que sejam considerados como tal. É importante ter em conta que, no primeiro mês de escola de qualquer criança, é completamente normal mostrar timidez ou um pouco de ansiedade, não se devendo confundir esta situação com um mutismo.

(Também lhe interessa: Bullying: causas e efeitos)

Como é que os pais podem ajudar a resolver esta situação?

Para ajudar as crianças com mutismo seletivo, as suas famílias deverão trabalhar os seguintes aspetos para melhorar as condições pessoais, familiares e sociais da criança:

Autoestima: é importante não sobreproteger os nossos filhos para que consigam adquirir mais confiança em si mesmos. Mediante tarefas simples, pode ensinar ao seu filho a assumir pequenas responsabilidades, tais como vestir-se e comer sozinho, ensaboar-se no banho, atar os atacadores dos sapatos, etc.

Comunicar e elogiar os méritos: não se esqueça que a comunicação é um assunto de dois, pelo que deverá escutar o que o seu filho tem para dizer sem o desvalorizar nem criticar. Por outro lado, vai conseguir reforçar os seus pontos fortes transmitindo-lhe as coisas que faz bem e incentivando-o a melhorar quando fizer algo mal.

Não comparar nem etiquetar: é melhor deixá-la falar quando o quiser fazer e evitar pressioná-la. Também não é aconselhável etiquetá-la como “tímida” quando não quiser fazer alguma coisa.

Fomentar as relações sociais: convidar os colegas de classe para brincar em casa, combinar com amigos que tenham filhos de idades aproximadas ou inscrevê-la em atividades com outras crianças vão ajudá-la a melhorar.

(Também lhe interessa: Educação e psicologia da criança)

O seu filho sofreu de mutismo seletivo em algum momento da sua vida? Como é que superou esta etapa? Conte-nos!

Também lhe interessa

O que é e como se trata o mutismo seletivo infantil | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)