Mi bebé y yo

Dislalia orgânica: um transtorno da fala

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

Um dos transtornos da fala mais comuns entre as crianças é a dislalia orgânica, causada por defeitos nos órgãos que intervêm na fala. O que é que pode causar a dislalia orgânica? Que tipos de dislalias existem? Vamos informá-la acerca de tudo isto e detalharemos ainda como se pode diagnosticar e tratar.

Os transtornos da fala em crianças são mais comuns do que pode parecer e é importante detetá-los o mais cedo possível, já que assim se podem tratar de forma mais eficaz. O transtorno da linguagem mais frequente é a dislalia, que se manifesta por uma dificuldade no momento de articular as palavras. De entre os diferentes tipos de dislalias, destaca-se a dislalia orgânica, que é devida a malformações ou defeitos nos órgãos que intervêm na fala.

Para pronunciar corretamente uma palavra é necessário que funcione corretamente o fecho dos lábios, a língua, a respiração nasal, etc. Se este equilíbrio não existe significa que algum dos órgãos ou músculos que intervêm na pronunciação têm um problema, o que provoca dificuldades na fala.

(Também lhe interessa: Afasia infantil: sinais de alarme)

Causas e tipos de dislalia orgânica

As causas que provocam a dislalia orgânica são variadas e encontram-se nos órgãos relacionados com a fala. As mais habituais são:

  • Malformações congénitas craniofaciais.
  • Perturbações do crescimento.
  • Paralisias periféricas.
  • Anomalias adquiridas em consequência de lesões na estrutura oro-facial ou de intervenções cirúrgicas.
  • Traumatismos
  • Problemas psicológicos.

Dependentemente do órgão relacionado com a fala que tenha a dita malformação distinguem-se diferentes tipos de dislalia orgânica.

Dislalia orgânica labial

Malformações na zona dos lábios, tais como o palato fendido, o freio superior hipertrófico, fissura do lábio inferior ou macrostomia, provocam este tipo de dislalia orgânica, que provoca um transtorno na articulação dos fonemas devido a dificuldades na mobilidade, força ou consistência dos lábios.

Dislalia orgânica mandibular

A dislalia orgânica mandibular é provocada por uma alteração na forma dos maxilares e pode ser congénita ou de desenvolvimento. As causas são variadas: disostose mandibular, deslocamento de maxilares, etc.

Dislalia orgânica dental

Este tipo de dislalia orgânica é provocada por uma alteração na forma ou posição dos dentes, o que provoca um transtorno na articulação da fala. É um tipo de dislalia que acontece com o desenvolvimento e que pode ser causada por causas genéticas, desequilíbrios hormonais, alimentação, uso de aparelhos, etc.

Dislalia orgânica lingual

A alteração na pronunciação também pode ser provocada por um transtorno orgânico da língua, que pode afetar a rapidez, exatidão e sincronização dos movimentos da mesma. As causas deste tipo de dislalia são variadas: freio curto, glossectomia, macroglossia, malformações congénitas da língua, etc.

Dislalia orgânica palatal

Por fim, as malformações orgânicas do palato e do véu do mesmo também podem provocar dislalia. As suas causas: fissura palatina, fissura submucosa do palato, palato ogival, palato curto, úvula bífida, etc.

Diagnóstico da dislalia orgânica

Diagnosticar a dislalia orgânica em crianças é relativamente fácil, dado que se torna evidente quando o pequeno tem problemas em articular os fonemas. Nalguns casos, esta problemática evidencia-se porque a criança revela problemas de aprendizagem na escola que podem causar maus resultados académicos. Também pode acontecer a criança mostrar-se tímida ao falar em público e rejeite esta atividade com os amigos ou perante a família. Perante qualquer tipo de suspeita de que a criança possa padecer de um transtorno da fala deverá consultar imediatamente o médico que, se considerar oportuno, lhe dará o contacto de um especialista.

Como se trata a dislalia orgânica?

As causas da dislalia orgânica são muitas e, por conseguinte, também são várias as formas de tratamento existentes. As dislalia orgânica é uma patologia que afeta as capacidades fisiológicas do indivíduo, pelo que o tratamento não se limita aos órgãos afetados diretamente (língua, maxilares, palato, lábios, etc.), mas também engloba o aspeto fisiológico, tratando-se também as funções motoras e neurovegetativas como a mastigação, a regulação, a voz, a respiração nasal e a articulação da fala.

Outro aspeto que o especialista terá em conta no momento de tratar a dislalia orgânica é a intensidade da mesma. Dependentemente da gravidade da dislalia vai ser necessário um determinado tipo de tratamento. Cada tipo de dislalia orgânica necessita de um tratamento a nível de terapia da fala diferente e específico. De forma geral, os aspetos que se trabalham com mais frequência neste tipo de patologia são: trabalho de aspetos como a articulação, a deglutição, a respiração, a tonicidade, analisar aspetos como a língua e os lábios e os movimentos dos diferentes órgãos da boca. Se se tratar de um caso de dislalia grave pode recorrer-se à cirurgia.

(Também lhe interessa: Causas e sinais do atraso psicomotor em bebés e crianças)

Também lhe interessa

Dislalia orgânica: um transtorno da fala | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)