Mi bebé y yo

As vantagens da linguagem bimodal

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

Aprender a comunicar é um grande desafio para as crianças com deficiência cognitiva, intelectual ou com problemas de audição. Existe alguma forma de comunicação eficaz que melhore as relações e ajude no desenvolvimento afetivo, cognitivo e social destas crianças? A linguagem bimodal pode ser a resposta em muitos casos.

Há diferentes denominações para a linguagem bimodal, também chamada de comunicação bimodal ou sistema bimodal. Todos estes termos fazem referência a uma forma de comunicação na qual se acompanha a fala com os signos da linguagem gestual.

A linguagem oral é produzida através da voz e entende-se com o ouvido, enquanto a linguagem gestual é expressa através das mãos e do corpo e entende-se com a vista. Além desta diferença, a estrutura destas linguagens também é diferente, dado que a ordem dos signos e das palavras nas frases não costuma coincidir.

(Também lhe interessa: Síndrome de Down: o que é e como ajudar a criança)

Em que consiste a linguagem bimodal

Embora esta forma de comunicação seja uma combinação de duas línguas, a linguagem oral é que tem mais importância. Ao usar a linguagem bimodal, o que se faz é falar ao mesmo tempo que se fazem os gestos. Estes gestos são apoios com os quais se pretende que se entenda melhor o que se está a dizer, e seguem a estrutura e ordem das palavras da linguagem oral, pelo que não se segue a estrutura da linguagem gestual.

A linguagem bimodal facilita a comunicação, dado que os gestos ajudam a criança a compreender as palavras que não entende. É fácil de aprender e a criança habitua-se facilmente aos gestos. Pode utilizar-se desde muito cedo e ajuda os pais a sentirem-se melhor ao poder comunicar com o seu filho. Também estimula a aprendizagem da linguagem oral, já que a linguagem bimodal ensina a estrutura das frases. A criança “verá” facilmente qual é a ordem das palavras.

Uma coisa a ter em conta é que a linguagem bimodal não resolve todos os problemas de comunicação, por exemplo, não ajuda a criança a conhecer as letras que formam cada palavra, para tal será necessário utilizar outros recursos ou sistemas.

(Também lhe interessa: Causas e sinais do atraso psicomotor em bebés e crianças)

Começando com a linguagem bimodal

Inicialmente, a criança pode não entender a linguagem bimodal mas, pouco a pouco, poderá ir avançando até chegar ao momento em que, ao dizer algo acompanhado pelo gesto, a criança entenda o que se lhe quer dizer.

O início também é complicado para os pais, dado que têm de aprender os gestos e é um modo de comunicação ao qual não se está habituado. Não obstante, os gestos necessários para se comunicar com a criança são simples e, ao usá-los, costumam aprender-se rapidamente.

Vai chegar um momento em que a criança aprende gestos que os pais não conhecem (na escola, por exemplo), mas de certeza que vai adorar ensiná-los e sentir-se importante.

(Também lhe interessa: A disfasia e o seu efeito nas crianças)

Também lhe interessa

As vantagens da linguagem bimodal | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)