Mi bebé y yo

Coronavírus e gravidez: as perguntas das futuras mamãs

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

O alarme social gerado pelo Covid-19 é evidente. O que acontece se passamos por este período de isolamento estando grávidas, sendo necessário ir a consultas e exames já programados? E como proteger a saúde das futuras mamãs no dia-a-dia? Os especialistas ajudam.

A pandemia do Coronavírus é uma realidade global, e traz consigo muitas dúvidas e uma crescente ansiedade nas grávidas, como não poderia deixar de ser.

A primeira preocupação consiste em saber como se pode proteger do contágio, quais as medidas que uma grávida deve tomar, e se se trata de um grupo de risco específico no caso de Coronavírus.

O Governo já decretou estado de emergência, que acarreta, entre outras medidas, o isolamento da maioria da população nas suas casas.

Como se organizariam os hospitais e maternidades de modo a garantir um cuidado seguro às futuras mamãs e aos bebés que nasçam entretanto?

Para esclarecer dúvidas, contamos com a opinião de especialistas em obstetrícia e ginecologia, como Enrico Ferrazzi, diretor da Clínica de Obstetrícia e Ginecologia do Politécnico de Milão.

 

embarazada mascarilla

 

Coronavirus e gravidez: como pode afetar o vírus?

Dos casos que existiram (e existem) em todo o mundo de pacientes confirmados, houve muito poucos casos de grávidas com sintomas respiratórios que tenham necessitado de ser hospitalizadas. E em nenhum destes casos se terá produzido uma transmissão vertical da infeção da mãe para o bebé, como comprova a ausência de recetores na placenta.

Também o leite materno está fora de suspeitas e, inclusivamente, representa uma valiosa fonte de anticorpos protetores.

Como tal, segundo os dados disponibilizados pela OMS e pelas autoridades sanitárias chinesas, em primeira linha desde o início da crise, parece poder deduzir-se que a incidência de Coronavírus na gravidez é inferior à da gripe comum.

De qualquer modo, a gravidez é um período delicado para as doenças respiratórias devido à compressão exercida pelo útero nos pulmões. No entanto, a infectividade clínica do Coronavírus não é severa na gravidez.

Pelo que sabemos até agora, desde o início de difusão do vírus, o que há a fazer é tomar todas as medidas preventivas a nível de higiene e isolamento.

Se uma grávida se contagia com Coronavírus existem níveis de risco mais ou menos elevados em função do tempo de gestação?

O vírus não parece passar a placenta, pelo que não pode afetar diretamente o feto. Em caso de contaminação, poderia interferir no bem-estar do bebé se provocasse uma subida da temperatura materna como, por outro lado, pode acontecer com qualquer síndroma infeccioso.

De facto, acima de 39 graus, a temperatura pode causar danos à placenta e ao embrião. Mas no caso do Coronavírus tal apenas pode acontecer quando se desencadeia uma afetação pulmonar severa.

Não obstante, perante um episódio de tal calibre, a futura mamã permanecerá hospitalizada e, caso necessário, será assistida nos cuidados intensivos.

Se a mamã fosse confirmada como positiva e sintomática, teria de se seguir o protocolo estabelecido, com um controlo exaustivo da temperatura materna, para o bem-estar do feto.

Assim, não é necessária uma monitorização da saúde fetal, nem há razão para adiantar o parto ou para recorrer a uma cesariana, salvo situações imprevisivelmente severas.

Coronavírus e gravidez no hospital: o que acontece quando uma grávida com sintomas suspeitos se apresenta para fazer um teste, ou para dar à luz?

Além de terem uma máscara, as grávidas que chegam ao hospital com tosse ou outros sintomas suspeitos devem ser avaliadas seguindo determinados critérios sobre o risco de infeção: procedência de zonas de risco, possível contacto com pessoas infetadas ou descrição de condições de saúde preocupantes evidenciadas, por exemplo, pela frequência respiratória e saturação de oxigénio.

Nos casos graves, decidir-se-á o ingresso numa zona de isolamento, com um adequado dispositivo de proteção para o pessoal.

 

embarazada lavar manos

Coronavírus e gravidez na vida diária: quais as medidas de higiene e prevenção do contágio?

As grávidas devem seguir os critérios normais recomendados para a população em geral, seguindo-os escrupulosamente. São estes:

  • Lavar as mãos adequadamente, frequentemente e sempre depois de sair à rua, ou ter tocado em locais passíveis de serem tocados por outras pessoas.
  • Evitar o contacto social ao máximo, limitando as saídas ao mínimo indispensável.
  • Uso de máscara apenas se souber ter estado em contacto com alguém infetado.
  • São suficientes as máscaras normais de usar e deitar fora, que não representam um escudo inviolável para os agentes patogénicos, mas que oferecem uma proteção suplementar de até 85%, se bem usadas.
  • Por outro lado, as máscaras com filtros mais sofisticados não são aconselháveis, pois são mais difíceis de usar, e, caso não sejam bem utilizadas, são menos seguras.
  • A vantagem das máscaras hospitalares é poder serem inutilizadas após cada uso.
  • Tossir e espirrar sempre num lenço de papel que se deita fora imediatamente ou, na impossibilidade de o fazer, na zona interior dos cotovelos.
  • Evitar tocar com as mãos sem lavar em zonas como a boca, nariz e olhos.
  • Usar lenços de papel e inutilizá-los após cada uso.
  • Todas as informações importantes disponibilizadas governamentalmente podem ser consultadas em https://covid19estamoson.gov.pt/.

Resumidamente, as medidas de prevenção adotadas para a gripe sazonal também são válidas para o Coronavírus:

  • Evitar o contacto com pessoas sintomáticas.
  • Usar máscaras se se entrar em contacto com pessoas infetadas.
  • Lavar frequente e cuidadosamente as mãos com água e sabão durante um mínimo de 20 segundos.
  • No caso de não dispor de água e sabão, usar um gel desinfetante de base hidroalcoólica e aplica-lo em toda a superfície das mãos.
  • Por fim, procurar evitar os gestos habituais dos quais quase não somos conscientes, mas que são um potencial veículo de transmissão de um vírus que pode estar presente em qualquer superfície, como um corrimão, um balcão ou a maçaneta de uma porta.
  • Uma vez mais: não devemos tocar na cara, nos olhos, no nariz ou na boca sem lavar previamente as mãos.

Isolamento em casa: como agir e o que fazer ou não fazer durante os dias durante os quais não se pode sair de casa?

Durante os dias nos quais é obrigatório o isolamento da população em casa, estando grávida é importante seguir as seguinte indicações:

  • Ficar em casa, não sair (nem para o trabalho nem para outras áreas públicas)
  • Utilizar um quarto separado em casa e com boa ventilação.
  • Não se podem receber visitas.
  • Deve utilizar-se a entrega ao domicílio para receber medicamentos e alimentos. Ou peça a alguém para os ir buscar.
  • É aconselhável usar uma casa de banho em separado, se tal não for possível, é imprescindível lavar as áreas usadas após cada utilização.
  • Deve evitar-se o contacto com animais.
  • No caso de tosse ou espirros, usar um lenço de papel ou a zona interior dos cotovelos.
  • Lavar as mãos frequentemente.
  • Utilizar e manter os elementos de casa por separado: toalha, lençóis, utensílios de cozinha, etc.
  • Usar uma máscara quando em contacto com outras pessoas.
  • Ventilar o espaço durante dez minutos, três vezes por dia.
  • Tomar banho e mudar de roupa diariamente.
  • Deitar o lixo fora todos os dias.
  • Beber muita água, ou tisanas (as permitidas).
  • Manter o contacto com amigos e familiares por telefone.
  • É aconselhável manter-se ativa, por exemplo com rotinas de fitness online, yoga ou pilates para grávidas.

Isolamento em casa: o que acontece se uma grávida entra em trabalho de parto isolada em casa?

Se uma mulher grávida entra em trabalho de parto deve ligar para o seu hospital/maternidade e informar da situação. Se tem sintomas leves de parto, vai-lhe ser pedido que fique em casa durante a primeira parte do parto, seguindo as indicações normais atuais.

É importante ter em conta que a equipa da maternidade recebeu formação para garantir que as mulheres grávidas recebem assistência segura e de qualidade. Uma vez na maternidade, aplicam-se as recomendações gerais sobre assistência no hospital:

  • Aconselha-se ir para o hospital em transporte privado sempre que possível, ou ligar o 112 para se ser aconselhado.
  • É feito o ingresso da futura mamã na unidade de maternidade e é-lha dada uma máscara facial que terá de ter posta até estar isolada numa sala adequada.

É possível que, consoante seja decidido pela equipa médica, que se realize o teste do coronavírus à futura mamã para garantir a máxima segurança no parto, tanto para a mamã como para o bebé. É possível que só possa haver um acompanhante durante todo o processo.

Também lhe interessa

Coronavírus e gravidez: as perguntas das futuras mamãs | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)