scorecardresearch
Siga-nos
Mi bebé y yo
Doenças
Doenças

Esquisar doenças por inicial

a b c d e f g h i l m n o p q r s t u v

Sopro inocente no coração do bebé

facebook twitter whatsapp

No caso do bebé ou da criança, o sopro inocente de coração é, habitualmente, um transtorno sem importância, ainda que normalmente os pais se preocupem bastante. O que é exatamente? Por que se produz? Tome nota!

Durante a infância, é bastante frequente que, em algum momento da sua vida, a criança seja diagnosticada com sopro no coração. Na maioria dos casos, trata-se de uma descoberta casual, que coincide com uma consulta pediátrica por outro motivo. Muitas vezes, as características do sopro permitem que o pediatra lhe conceda o adjectivo de “inocente”, ou seja, inócuo, já que não produz nenhuma consequência clínica.

Como é o coração?

- O coração está dividido em duas partes separadas por um tabique que se fecha no nascimento.
- Cada uma destas duas cavidades divide-se, por sua vez, em outras duas, as aurículas e os ventrículos, separadas por válvulas que se abrem para permitir a passagem do sangue da aurícula ao ventrículo, e se fecham imediatamente para evitar que o sangue reflua do ventrículo para a aurícula.
- Ao fechar, estas válvulas, emitem um ruído que pode ser ouvido através do estetoscópio do médico, e que é também notado ao pôr a mão sobre o peito, sobre a zona do coração: são os batimentos cardíacos (“tum tum”, “tum tum”.

Quais são as causas de um sopro inocente no coração?

- Pode acontecer que uma das válvulas seja mais estreita do que o normal, ou que não feche completamente. Também pode suceder que o tabique não se tenha fechado totalmente no momento do nascimento. Estas e outras doenças são causas de sopros patológicos, ou seja, provocados por uma alteração no coração.

- Não obstante, pode acontecer que o coração seja normal, ou seja, que não existe estreitamento ou falha do fecho das válvulas, embora se escute um sopro no coração, como um “puf”. Neste caso trata-se de um ruído não habitual num coração normal.

- Frequentemente, este sopro não patológico (não existe doença) é ouvido unicamente em circunstâncias especiais, por exemplo, quando a criança tem febre ou quando a criança está deitada e emite o ruído, que desaparece ao sentar-se. Estas e outras características descartam a possibilidade de doença e sugerem o diagnóstico de sopro inocente, suficientemente apelativo para demonstrar a sua inocuidade.

- Apesar de, muitas vezes, o pediatra estar convencido da inocência do sopro no coração, pode pedir opinião a um cardiologista pediátrico, que fará um diagnóstico seguro através de exames concretos.

A criança pode ter uma vida normal quando crescer?

- Evidentemente que sim. O mais importante é conhecer a existência do sopro inocente, para que, numa futura consulta médica escolar ou numa consulta com outro pediatra que não o habitual, se lho diagnosticarem, possa responder: ‘Já sabia’ e evitar o susto que pressupõe, de repente, ter conhecimento que o nosso filho talvez tenha uma doença cardíaca.

- Também é importante saber que o facto de ter um sopro inocente não garante que a criança não possa ter, futuramente, uma doença de coração. Se infelizmente a criança desenvolver uma destas doenças, as características do sopro serão outras, e aparecerão, ainda, outros sintomas.

(Também lhe interessa: Doenças de crianças)




Também lhe interessa

Sopro inocente no coração em bebés e crianças Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)

Registro