Mi bebé y yo

Ser mãe solteira

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

Não é uma experiência simples e é necessária muita autoconfiança e uma boa dose de coragem. Também para pedir ajuda. Oferecemos-lhe alguns conselhos para enfrentar o melhor possível esta situação.

Encarar a maternidade quando se está solteira porque, por algum motivo, o futuro papá não vai partilhar consigo esta experiência é uma situação na qual a futura mamã deve desenvolver ao máximo as suas potencialidades e demonstrar toda a sua força e determinação.

O teste deu positivo: e agora?

Quando se trata de uma gravidez inesperada, as emoções são muito fortes e contraditórias. É importante não ter pressas e, se possível, não se deixar desanimar pela situação. Enfrentar a maternidade sozinha não é simples mas é possível, especialmente se a mãe não se isolar e procurar apoio na família e nos que lhe são queridos.

O objetivo é viver o melhor possível os meses de espera, adequando a nossa vida às novas circunstâncias e aceitando-as pouco a pouco. Os momentos difíceis, quando mais se nota a ausência do pai, não vão faltar mas, concentrando-se no bebé e na alegria de ser mãe, a mulher poderá tornar esta experiência numa oportunidade para crescer e fortalecer o seu carácter descobrindo, muitas vezes, que tem recursos inesperados.

Ecografias: sozinha ou acompanhada?

Na sala de espera do ginecologista todas as mamãs estão com o pai ao seu lado: uma imagem muito bonita que pode magoar uma mulher que, por seu lado, está a viver estes momentos sozinha.

A primeira ecografia  é uma consulta importante para todas as futuras mamãs e representa um momento especial pois permite estabelecer um contacto visual com o bebé. Se o pensamento de ir sozinha fazer as análises ou exames parece muito doloroso podemos pedir a um familiar ou a uma amiga que nos acompanhe.

Outras figuras de referência

Criar uma potencial rede de apoio é fundamental. Se o pai não está, podem estar outras figuras de referência importantes. Não se trata de substituir o papá, mas sim de não estar sozinha quando se encaram as diferentes etapas da gravidez e da maternidade.

Este pode ser o momento perfeito para descobrir, surpreendentemente, que não alguém disposto a oferecer-nos a sua ajuda. Quando acontece uma situação de grande dificuldade, as reações mais frequentes são ou a “fuga” (das pessoas que, como não sabem o que fazer, preferem afastar-se) ou de grande apoio (das pessoas que fazem todos os possíveis para oferecer à futura mamã toda a ajuda e suporte de que necessita).

Trabalho de parto: como se organizar

Sem dúvida que os primeiros períodos do parto são muito duros para todas. A futura mamã tem de enfrentar o cansaço, uma situação hormonal peculiar e imensas dúvidas e incertezas. Também nesta etapa o conselho é o mesmo: evitar isolar-se e pedir ajuda aos outros.

É aconselhável, por exemplo, participar num curso de preparação para o parto com outras mamãs que vivem as mesmas dúvidas e dificuldades: as informações e sugestões aqui recebidas vão ajudar a encarar os primeiros meses com o bebé.

Cada mulher pode decidir se quer ou não partilhar com as outras mamãs a sua experiência de mãe solteira. Se não se sente preparada não é necessário contar a sua própria história. Para proteger a sua privacidade poderá pedir a ajuda do pessoal. No caso de preferir contar a experiência vivida, os momentos com o grupo de apoio podem oferecer um valioso espaço de assimilação e reelaboração da situação.

Se onde vive não existem estas iniciativas, pode tentar encontrar outras situações para estar com outras mamãs, por exemplo, indo ao parque e contactando com alguma mamã do curso de preparação para o parto.

Se os sentimentos negativos e a melancolia se tornam demasiado fortes, mais do que a alegria da maternidade, é melhor não esperar e pedir ajuda, se necessário consultando um psicólogo.

No caso de problemas económicos

Acontece muitas vezes que um dos grandes problemas que a mãe solteira tem de enfrentar relaciona-se com a sua situação económica, que pode ser fonte de stress e preocupações.

É muito importante informar-se através das instituições acerca das ajudas e apoios previstos para as mamãs solteiras.

Também lhe interessa

Ser mãe solteira | O meu bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)