Mi bebé y yo

Varicela na gravidez: os riscos para o bebé

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

Durante a infância, a varicela é uma doença inócua. No entanto, contrair varicela durante a gravidez apresenta alguns riscos, especialmente para o feto. Descubra, neste artigo, quais são.

A varicela é uma das doenças mais comuns e deixa uma imunidade permanente. Não se trata de uma patologia importante e não acarreta problemas para o paciente. Mas o que é que acontece se se contrai, pela primeira vez, varicela durante a gravidez?

Como acontece o contágio por varicela?

A varicela pega-se por contágio direto. O contágio é muito fácil, quase inevitável, porque o vírus transmite-se através das vias respiratórias e é suficiente estar no mesmo ambiente para ser infetado.

É muito mais improvável uma transmissão indireta: se outro filho (que já tenha tido esta doença) entra em contacto com um amigo que tem varicela não leva o vírus para casa. Também não é possível apanhar esta infeção através de um objeto que tenha sido tocado por alguém doente.

A varicela tem uma fase de incubação de entre 15 e 21 dias e o período de contágio começa entre 1 e 2 dias antes do aparecimento das borbulhas até à sua completa transformação em crostas.

O que acontece se se contrai varicela durante a gravidez?

Em primeiro lugar, se a grávida fica doente o vírus não contagia necessariamente também o bebé: segundo os cálculos, tal apenas ocorre em 17% dos casos. Se tal acontece, as possíveis consequências dependem da época de gestação na qual tem lugar o contágio.

Os maiores problemas de contrair varicela durante a gravidez acontecem se a futura mamã é contagiada durante o primeiro trimestre, quando os órgãos do embrião ainda se estão a formar. Se o bebé se infeta, existe cerca de 7% de probabilidades de que, ao nascer, apresente o síndroma da varicela congénita, caracterizada por lesões cutâneas com cicatrizes, atrofia muscular, hipoplasia dos dedos (dedos mais pequenos e curtos do que o normal) ou lesões cerebrais como encefalite, que podem ser causa de atraso mental. Nos casos mais graves, também pode acontecer um aborto espontâneo.

É verdade que contrair varicela antes do parto é muito perigoso?

Se o contágio da varicela acontece no segundo ou terceiro mês de gravidez as consequências são menos graves e diminuem com o avançar da gravidez. Não obstante, nas últimas semanas é preciso ter muito cuidado no caso de se apanhar a doença. Há três casos possíveis:

  • Se o contágio aparece até 21 dias antes do parto e a mamã manifesta a doença, a probabilidade do vírus atravessar a placenta é baixa e, mesmo que tal aconteça, a mamã já teve tempo de passar os seus anticorpos ao feto. Consoante a época de contágio o bebé poderá curar-se antes de nascer ou manifestar a varicela depois do parto. Também neste caso a doença não costuma causar consequências.

  • Se o parto tem lugar durante o período de incubação da doença, o bebé nasce saudável mas pode infetar-se nos dias seguintes. Neste caso, é verdade que não recebeu os anticorpos maternos (que se produzem apenas quando a doença se manifesta), mas a viremia (ou seja, a concentração do vírus no sangue) é inferior, pois o vírus não foi transmitido pela placenta mas sim por via aérea. De todas as formas, antes de passarem 48 horas e nunca depois das 78 horas, deve injetar-se no bebé imunoglobulinas específicas contra o vírus da varicela que ajudam o sistema imunitário ainda imaturo do bebé. Só depois se decide se se deverão dar medicamentos antivirais que têm uma ação mais lenta do que as imunoglobulinas.

  • O pior caso acontece se o contágio ocorrer entre 18 e 20 dias antes do parto porque o bebé vai nascer exatamente no começo da sintomatologia, período no qual a viremia está nos seus níveis máximos. Nesta situação, a mamã ainda não pôde transmitir os seus anticorpos ao feto e no momento do nascimento o bebé ainda não desenvolveu uma resposta imunitária. É a situação que pode acarretar as consequências mais graves (inclusivamente letais). Por isso, é importante que a mulher tente estabelecer a data exata de contacto com o vírus para decidir, juntamente com o ginecologista, se terá de adiantar ou atrasar o parto alguns dias para que não coincida com os dias mais críticos.

A futura mamã pode correr riscos graves?

A mamã não corre nenhum risco. No entanto, a sintomatologia pode ser mais incómoda e forte: de facto, todo o seu organismo está ocupado a cuidar do bebé e também o seu sistema imunitário pode estar momentaneamente mais débil.

Para fazer a doença passar mais rapidamente e reduzir o risco de infetar o bebé, podem administrar-se imunoglobulinas, mas sempre antes de terem passado 72 horas da exposição ao contágio. Os medicamentos antivirais são desaconselhados porque não são seguros durante a gravidez.

Pode prevenir-se o contágio da varicela na gravidez?

A única forma segura e eficaz é a vacina. O produto é completamente seguro: se uma mulher tiver a certeza de que nunca teve o vírus pode levar a vacina pelo menos 3 meses antes da conceção para ficar totalmente tranquila.

No entanto, por vezes a doença apresenta-se sem qualquer sintoma: 20% dos pacientes nem sequer sabe que a teve. Em caso de dúvida, é suficiente fazer um controlo serológico com análises do sangue dos anticorpos específicos para o vírus varicela-zóster. Se o exame der negativo a mamã pode levar a vacina.

A varicela pode contagiar por contacto com alguém que tem um herpes zóster?

Sim, embora o contágio seja mais difícil. Uma vez que entra no organismo, o vírus da varicela fica nos gânglios nervosos ou na medula óssea.

Nalguns casos, há uma redução das defesas imunitárias, como em casos de doença ou alturas de stress, e o vírus pode voltar a manifestar-se afetando um só nervo, onde aparecem vermelhidão cutânea e pequenas borbulhas que provocam ardor e dor mais ou menos intensos: o herpes zóster. Tratando-se do mesmo vírus, o contágio pode acontecer também por uma pessoa com este tipo de herpes mas a transmissão, neste caso, é muito mais difícil porque apenas ocorre por contacto com o líquido vesical e não por via aérea.

Quais os conselhos que podemos dar a uma mamã que não teve varicela?

Podemos sugerir-lhe que se afaste de pessoas que possam ter a doença. Se já tem um filho e sabe que na sua escola está a circular varicela, pode evitar levá-lo durante um tempo. Se um elemento da família já foi contagiado e é impossível evitar a infeção em casa, deverá consultar o ginecologista em casa o quanto antes e ele irá decidir o que fazer baseando-se na época de contágio.

 

Também lhe interessa

Varicela na gravidez: os riscos para o bebé | O meu bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)