Mi bebé y yo

O cantinho para pensar: quando e como o usar

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

O cantinho para pensar é um dos métodos educativos mais utilizados pelos pais e pelas escolas. Muitos deles usam este recurso para fazer as crianças refletir acerca de algo que fizeram mal. Mas será que sabermos realmente como e quando se deve usar este cantinho?

Levar uma criança para o cantinho de pensar consiste em fazê-la pensar um pouco sozinha, por exemplo, num quarto ou numa sala, dizendo-lhe para se sentar numa cadeira, pensar se o que fez é correto. Regra geral, é um excelente método para as fazer compreender o que fizeram e é sempre bastante mais fácil falar com elas depois de terem refletido por sua conta, pois irão conseguir reconhecer o seu erro com mais facilidade. Não obstante, há que saber muito bem quando é que se pode usar este recurso para não confundir os mais pequenos ou fazê-los ficar ainda mais zangados.

A partir de que idade é que é recomendável levar uma criança para o cantinho de pensar?

Para começar, é importante saber que este não é um método apropriado para crianças de dois anos. Nesta idade, as crianças não conseguem resolver os problemas nem refletir quando são convidadas a pensar.

(Também lhe pode interessar: Hiperparentalidade: o que é?)

As crianças de dois anos ainda não têm a capacidade de refletir nem de travar com antecipação comportamentos impulsivos, pelo que, nesta idade, é imprescindível a presença de um adulto para a sua autorregulação, e não a solidão. Uma criança de dois anos pode entender o cantinho de pensar como um castigo, que a vai fazer ficar ainda mais nervosa, e não como um espaço de reflexão e tranquilidade.

Dever-se-á, então, utilizar outro tipo de estratégias para resolver conflitos durante estas idades precoces como, por exemplo, dizer-lhe com palavras simples que o que fizeram foi mal feito. Sempre sem lhe gritar, mas com firmeza.

(Também lhe pode interessar: Criação com apego: os 8 princípios)

Não obstante, a partir dos quatro ou cinco anos, o cantinho de pensar pode chegar a ser muito efetivo para fazer as crianças compreenderem o que fizeram mal. Os educadores consideram que, a partir desta idade, as crianças são muito mais capazes de refletir acerca dos seus erros e conter a sua impulsividade.

Quais as considerações que se devem ter em conta no momento de levar uma criança para o cantinho de pensar?

  • É aconselhável nunca gritar. Há que manter a firmeza mas nunca se deve exaltar para tentar chamar a sua atenção. A serenidade alcança sempre os melhores resultados.
  • Nunca deve levar a criança para um lugar escuro ou com a porta fechada, posto que desta forma poderia entrar num estado de pânico sendo que o efeito é completamente diferente e contraproducente.
  • Três ou quatro minutos são os suficientes. Mais de 15 minutos pode chegar a confundir e a desviar a atenção da criança.
  • Depois, quando falarmos com ela, é importante dar-lhe a entender que confia que, ao refletir, aprendeu a lição e que de certeza vai melhorar para a próxima vez. Isto vai ajudá-la a reforçar a sua autoestima e a confiança em si mesma.

Utilizaria o cantinho de pensar para educar o seu filho e fazê-lo refletir? Se não, qual o tipo de estratégias que prefere utilizar?

Também lhe interessa

O cantinho para pensar: quando e como o usar | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)