O meu bebé

Histórias infantis: os melhores contos para que as crianças sonhem acordadas

Certamente que, durante a sua infância, os seus pais lhe contaram histórias que a fizeram sonhar acordada, lendas relacionadas com lugares exóticos, personagens fantásticos, histórias curiosas e insólitas. Vamos apresentar-lhe os melhores contos infantis para sonharem acordados!

Contar histórias aos seus filhos é um hábito muito importante, especialmente para fortalecer vínculos familiares ao mesmo tempo que se realiza uma atividade divertida e educativa. No entanto, para que funcione, é imprescindível selecionar os contos que não sejam aborrecidos e que fomentem a capacidade imaginativa dos mais pequenos. Além disso, é importante que tenham uma moral educativa e que façam as crianças pensar na importância de conviver, respeitar os outros e ser humilde.

(Também lhe interessa: Histórias para dormir: as 10 melhores)

Vamos mostrar-lhe algumas das melhores histórias infantis para crianças. Quer descobrir a magia destas histórias e transmiti-la aos seus filhos?

História infantil: O Moinho Mágico

O moinho mágico é a adaptação de uma lenda muito popular na Noruega que nos conta porque é que a água do oceano é salgada. Talvez os seus filhos já tenham perguntado alguma vez porque é que a água do mar sabe a sal. Uma boa forma de lhes responder de forma criativa é através desta curiosa lenda. Depois terão tempo de aprender no futuro a explicação real. De momento, vamos deixá-los sonhar acordados. Além disso, esta fantástica história vai ajudar os seus filhos a perceber a importância de não agir de forma orgulhosa e ambiciosa.

Conta a lenda que, há milhares de anos, vivia no norte da Europa um capitão que se divertia percorrendo o mundo com o seu barco e a sua tripulação, embora também gostasse de ganhar muito dinheiro a vender e a comprar produtos em muitos portos de diferentes países.

Certa vez o capitão ancorou num porto da Noruega e viu um enorme mercado cheio de peixe fresco, muito animado. Tal foi a sua admiração que decidiu aproximar-se para negociar.

Enquanto passeava pelo mercado, deu de caras com o homem de barba branca que vendia grandes blocos de sal e, como não eram muito caros, o orgulhoso marinheiro decidiu comprá-los todos.

O capitão pensava que esses blocos tão pesados podiam ser muito bem vendidos noutros países, e isso era a única coisa que lhe importava. No entanto, nessa mesma noite, caiu uma tempestade muito forte que inundou o barco mas, por sorte, todos conseguiram chegar a uma pequena ilha e abrigarem-se até a tempestade passar. Nem imaginavam o que ali iam encontrar…

Enquanto andavam à procura de uma gruta no bosque da ilha descobriram um feiticeiro que estava a trabalhar com um estranho artefacto que triturava as pedras. A única coisa que tinha de dizer para que este se pusesse a funcionar era: “Mói que mói! Mói que mói! Mói que mói!”.

O capitão disse aos seus tripulantes para, quando o feiticeiro estivesse distraído, lhe roubarem esse curioso moinho. Então, no meio da noite, embarcaram de novo com a máquina e o capitão começou a pronunciar as palavras mágicas para triturar os blocos de sal que tinha comprado.

Passadas algumas horas, o porão do barco estava tão cheio de sal que não havia mais espaço para nada. O convés também já estaca repleto de finos grãos de sal e o moinho não deixava de triturar. O capitão não sabia quais as palavras que tinha de dizer para parar o artefacto, pois não tinha perguntado ao feiticeiro. O barco começou a ficar tão pesado que se começou a afundar. Então todos os tripulantes decidiram saltar para a água e nadar, enquanto o enorme barco desaparecia nas profundas e escuras águas do oceano.

Conta a lenda que, ainda hoje, o moinho continua a triturar blocos de sal dentro do barco submerso…

História infantil: O crocodilo

O Crocodilo é uma lenda infantil de origem africana que nos conta porque é que a pele dos crocodilos é tão rugosa. É, sem dúvida, muito útil para os seus filhos perceberem que a vaidade não é boa e que tem consequências negativas. Quer conhecê-la?

Há muitos, muitos anos, em África, os crocodilos eram animais que tinham uma pele lisa e dourada. Um deles vivia na Namíbia, num lago onde se escondia para se refrescar e para se camuflar no barro do fundo. À noite, no entanto, o crocodilo saía da água para não ter frio, e a lua refletia os seus raios na sua linda pele, iluminando tudo ao seu redor. Os animais noturnos aproximavam-se à noite para observar a sua tão grande beleza. Nunca tinham visto um animal tão magnífico como esse crocodilo de pele dourada!

A admiração que os animais sentiam pelo crocodilo fez com que ele se sentisse cada vez mais orgulhoso. Por isso, e para despertar mais inveja, decidiu sair também durante o dia. Os animais apareciam a qualquer hora do dia para o poderem contemplar…

- “Essa pele é uma maravilha!”, diziam alguns.

- “Nenhum outro animal brilha tanto ao sol como esse crocodilo. Vejam todos!”, diziam outros enquanto apontavam para ele com um olhar de espanto.

Mas o crocodilo tanto quis brilhar que, com o tempo, a sua pele se foi estragando com o sol. Depressa se tornou feia a enrugou-se, encheu-se de escamas escuras, e todos os animais deixaram de o ir ver.

- “Que pele tão feia que tem o crocodilo! Antes era bonita, mas agora é escamosa e escura!”

Por este motivo, desde aquele momento, o crocodilo transformou-se num animal orgulhoso e ameaçador e, consciente da sua imagem, decidiu que só ia sair do lago quando ninguém estivesse a ver. Então, para poder ver o exterior, os olhos tornaram-se salientes.

História infantil: Porque é que os galos cantam de dia?

Esta antiga lenda das Filipinas explica porque é que, todas as manhãs, os galos acordam e cantam. Esta breve história vai ajudá-la a explicar aos mais pequenos a importância de não ser preguiçoso e de se dedicar com responsabilidade às tarefas domésticas.

Conta a lenda que, no princípio dos tempos, viviam no céu três peculiares irmãos: o quente e reluzente sol, a formosa e clara lua, e um galo charlatão que passava o dia a cantar.

Os três dividiam os trabalhos de casa. O sol estava encarregue de iluminar e aquecer a terra. Enquanto isso, a lua e o galo realizavam as tarefas domésticas como passar a ferro, cuidar das plantas ou cozinhar.

Um dia, a lua pediu ao galo para levar as vacas para o estábulo, pois o sol já estava quase a chegar e começava a fazer frio. O galo, preguiçoso, negou-se a fazê-lo.

- Não vou levar as vacas ao estábulo! Já fiz muitas coisas hoje, estou cansado e quero dormir.

A lua, ao ouvir o que tinha dito o seu irmão, zangou-se muito a sério e voltou a insistir, mas o galo não quis ir. A lua então irritou-se tanto que atirou o galo com toda a força para o espaço, em direção à Terra.

Quando o sol voltou para casa e encontrou a sua irmã perguntou-lhe onde é que estava o galo. Ela respondeu dizendo-lhe a verdade. O sol não deu crédito ao que ouviu e zangou-se muito:

- Como é que pudeste expulsar o nosso irmão de casa? Estou muito chateado contigo e não quero saber mais nada de ti! O que acabaste de fazer não tem perdão. A partir de agora, eu vou trabalhar durante o dia e tu vais sair durante a noite. Assim, não vamos ter de nos ver mais. Além disso, vou falar com o galo e vou pedir-lhe que me acorde todas as manhãs desde a terra com o seu canto para eu voltar ao trabalho, mas também lhe vou dizer para ir dormir no seu galinheiro à noite para não ter de te ver a ti.

A partir desse momento, o sol e a lua começaram a trabalhar por turnos. Quando o sol regressava, a lua já se tinha ido embora com as estrelas para dar brilho à noite escura. Nunca mais se voltaram a cruzar, graças ao canto do galo, que se habituou a viver na quinta e a acordar todas as manhãs o seu irmão sol.

(Também lhe interessa: Pedro e o Lobo)

…….

O que acha destas lendas infantis? Já experimentou contar alguma delas ao seu filho? Considera que é uma boa maneira de educar e de transmitir valores? Não se esqueça de partilhar com outras mamãs qualquer outra lenda ou história para crianças que lhe pareça fundamental!

Também lhe interessa…