O meu bebé

A história “Caracóis Dourados e os três ursos” e a sua moral

Vamos contar-lhe a história “Caracóis Dourados e os três ursos” para que a possa contar aos seus filhos e descobrir com eles qual é a moral da história. Diz-se que este conto provem do folclore escocês e, desde que em 1837 foi publicado pela primeira vez, reeditou-se repetidamente até fazer parte da tradição de contos europeia.

“Caracóis Dourados” é uma história cujos ensinamentos se podem interpretar à luz de várias lições de moral: deve respeitar-se a intimidade dos outros; devemos partilhar o que temos com os outros e, por fim, não nos devemos conformar com a primeira coisa que encontramos e devemos persistir até encontrar o que é mais apropriado para nós.

(Também lhe interessa: Pequenas histórias infantis: as seis mais originais!)

A história “Caracóis dourados e os três ursos”

Era uma vez, num bosque, uma casinha onde vivia uma família de ursos: o pai urso, que era muito forte e muito grande; a mamã ursa, que era muito amorosa; e o bebé urso, que ainda era muito pequenino.

Todas as manhãs a mamã ursa preparava papas de aveia para o pequeno-almoço: uma grande taça para o papá urso, uma taça média para ela e uma tacinha pequena para o bebé. No entanto, todos os dias antes de tomar o pequeno-almoço, os três saíam juntos para dar um passeio no bosque.

Um dia, enquanto a família de ursos dava o seu passeio, uma menina que também passeava pelo bosque chegou à casa dos três ursos. “ Mas que casa tão bonita! Quem é aqui viverá? Vou entrar para ver…”. E, como não estava ninguém em casa e a porta estava aberta, a menina decidiu entrar.

(Também lhe interessa: O duende das lágrimas)

Ela era uma menina com um cabelo tão louro e tão encaracolado que todos a chamavam de Caracóis Dourados. A primeira coisa que viu quando entrou na casa foram três cadeirões na sala. Primeiro sentou-se no maior, que era o do papá urso, mas, como o achou muito duro e não gostou, decidiu passar para o cadeirão médio, o da mamã ursa, mas pareceu-lhe demasiado mole. Assim que se sentou na cadeirinha do bebé urso este, apesar de ser do seu tamanho, partiu-se.

Foi então que saiu da sala e entrou na cozinha, onde esperavam as três tigelas de aveia que a mamã ursa tinha preparado para o pequeno-almoço. “Mmm que bem que cheira!” pensou a menina. A Cacaróis Dourados decidiu provar o pequeno-almoço dos três ursos. Primeiro provou o maior, o do papá urso mas, como estava demasiado quente e se queimou, decidiu provar o médio, que era o da mamã urso. Mas também não gostou deste porque estava demasiado salgado. Foi então que provou a taça de aveia do bebé urso e adorou. Estava tão bom e tão doce que comeu tudo e ficou com sono.

Foi por isso que decidiu deitar-se um bocadinho a dormir. A Caracóis Dourados entrou num quarto com três camas e tentou subir à maior mas não conseguiu porque era a do papá urso. Experimentou a cama da mamã ursa mas era muito suave e não gostou dela. Depois experimentou a cama do bebé urso, que era a mais confortável e adormeceu logo.

Quando os três ursos voltaram do passeio, deram-se conta imediatamente que alguém tinha estado em sua casa. Encontraram então a Caracóis Dourados a dormir muito descansada na caminha do bebé urso. A menina acordou de repente e começou a correr e a fugir de volta para sua casa.

(Também lhe interessa: Histórias para dormir: as 10 melhores!)

Imagem: wikimedia.org

Também lhe interessa…