Mi bebé y yo

Tudo sobre a psicose pós-parto

( 0 votos) load
facebook twitter whatsapp

Uma vez que a mulher dá à luz, as hormonas têm uma grande atividade e o estado emocional da mamã é uma verdadeira montanha russa. Mas nem tudo o que se experimenta é positivo e, durante o puerpério, podem experimentar-se alucinações e alterações graves de comportamento. Explicamos-lhe em que consiste a psicose pós-parto.

Entre uma e duas mulheres em cada mil experimenta a psicose pós-parto. Trata-se de um transtorno muito raro, mas que pode ocorrer durante os primeiros dias após dar à luz. A recém mamã começa a sofrer alucinações, ouve vozes, muda de humor muito drasticamente, fica alheada e pode chegar a assumir comportamentos violentos, com os quais se pode ferir a si mesma ou, inclusivamente, ao bebé.

É a doença mental mais grave que pode ocorrer depois do parto e requer um tratamento específico de fármacos e terapia. A psicose pós-parto seria a manifestação mais extrema da depressão pós-parto.

(Também lhe interessa: Depressão pós-parto: sintomas e tratamento)

A mamã começa a comportar-se de forma estranha: vê e ouve coisas que, na realidade, não aconteceram. Fica confusa, muito deprimida, não dorme e sofre de paranoia. Os seus pensamentos são irracionais e começa a acreditar em coisas nas quais antes não acreditava. Finalmente, acaba por delirar por completo.

Deve ter-se muito cuidado com certo tipo de alucinações, pois podem fazê-la acreditar que o pai, família e amigos estão contra ela, a vigiam e querem fazer-lhe mal. A mamã que padece de psicose pós-parto também se torna hiperativa, tem alterações de humor muito bruscas e não consegue ficar quieta.

As causas da psicose pós-parto

Não existe uma causa específica que a provoque, embora se relacione a percentagem de mulheres que a sofre com aquelas que, antes, já sofriam de algum tipo de patologia mental, como a bipolaridade ou a esquizofrenia ou com as que têm antecedentes familiares que padeceram do mesmo transtorno. Também se pode destacar que certas alterações se produzem devido ao síndrome de Sheehan, transtornos autoimunes ou de tiroide no pós-parto, entre outros.

Alguns especialistas atribuem às mudanças hormonais as causas desta doença, embora os tratamentos que se testaram até agora com hormonas tenham fracassado completamente.

Existe uma outra corrente de pensamento que acredita que a psicose pós-parto tem a sua origem em causas puramente psicossociais. Ou seja, a mamã começa a sentir-se mal com a sua maternidade porque se encontra num momento infeliz da sua vida, do seu casamento ou não se trata de uma gravidez desejada.

(Também lhe interessa: Quarentena pós-parto: as alterações físicas e emocionais)

Psicose pós-parto: tratamento

A psicose pós-parto requere uma atenção médica desde o primeiro momento e, até, o internamento no hospital para assegurar que a mamã não se magoa ou faz mal ao pequeno. O tratamento passa por medicação, seguimento por parte de um psiquiatra e, inclusivamente, terapias de eletrochoque.

Depois da mamã começar a progredir, existem grupos de apoio e seguimento para que se possa recuperar completamente e desfrutar ao máximo da sua maternidade.

Também lhe interessa

Tudo sobre a psicose pós-parto | O Meu Bebé Qual é a sua opinião?

Tem que se registrar para poder escrever um comentáro ou votar. Pode registrar-se aqui ou, se já tem conta, pode entrar.
ACEDER Á SUA CONTA
Memorizar-me
Entrar
REGISTAR-ME
JUNTE-SE À COMUNIDADE O MEU BEBÉ
REGISTE-SE GRÁTIS

Comentários (0)